DO BANDITISMO AO CRIME ORGANIZADO: UMA ANÁLISE DA EVOLUÇÃO DO CONCEITO DE GRUPO CRIMINOSO

Sandro Sales de Oliveira

Resumo


Organização criminosa é uma definição moderna relativa a categorização de grupo criminoso, disciplinado e organizado, que age motivado para obtenção de vantagem. Este artigo aborda a formação desses grupos criminosos ao longo da história mostrando, principalmente, o papel do “bandido social”, passando pelos criminosos comuns como corsários e piratas, bem como abordando a atuação das modernas estruturas criminosas internacionais. Finaliza com o estudo da evolução legal do conceito de organização criminosa no Brasil.

Palavras-chave


crime organizado - sociedades secretas - organização criminosa – máfia - Convenção de Palermo.

Texto completo:

PDF

Referências


BRASIL. Decreto nº 5.015, de 12 de março de 2004. Promulga a Convenção das Nações Unidas contra o Crime Organizado Transnacional. Disponível em: . Acesso em 14 de junho de 2016.

BRASIL. Lei nº 9.034, de 3 de maio de 1995. Dispões sobre a utilização de meios operacionais e repressão de ações praticadas por organizações criminosas. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/L9034.htm. Acesso em 14 de junho de 2016.

BRASIL. Lei nº 12.694, de 24 de julho de 2012. Dispõe sobre o processo e o julgamento colegiado em primeiro grau de jurisdição de crimes praticados por organizações criminosas; altera o Decreto-Lei no 2.848, de 7 de dezembro de 1940 - Código Penal, o Decreto-Lei no3.689, de 3 de outubro de 1941 - Código de Processo Penal, e as Leis nos 9.503, de 23 de setembro de 1997 - Código de Trânsito Brasileiro, e 10.826, de 22 de dezembro de 2003; e dá outras providências. Disponível em: . Acessado em 15 de junho de 2016.

BRASIL. Lei nº 12.850, de 2 de agosto de 2013. Define organização criminosa e dispõe sobre a investigação criminal, os meios de obtenção da prova, infrações penais correlatas e o procedimento criminal; altera o Decreto-Lei no 2.848, de 7 de dezembro de 1940 (Código Penal); revoga a Lei no 9.034, de 3 de maio de 1995; e dá outras providências. Disponível em . Acessado em: 15 de junho de 2016.

ERICKSON, B. H. Secret Societies and Social Structure. p. 188–210, 1981.

HOBSBAWN, E. Bandidos. Tradução de Donaldson Magalhães Garschagen. Rio de Janeiro. FORENSE-UNIVERSITÁRIA, 1976.

JACOB, F. Social Organization , Secrecy , and Rebellion – Secret Societies in China and Ireland. p. 53–57, 2013.

MINGARDI, G. O trabalho da Inteligência no controle do Crime Organizado. n. May, 2006.

OLIVEIRA, A. As Peças e os Mecanismos do Crime Organizado em Sua Atividade Tráfico de Drogas. v. 50, p. 669 a 720, 2007.

PINHEIRO, P. S. Violência, crime e sistemas policiais em países de novas democracias. p. 43–52, 1997.

QUEIROZ, C. A. M. DE. Crime Organizado no Brasil. 1a. ed. São Paulo: IGLU, 1998.

SAVIANO, R. Gomorra. Tradução de Elaine Niccolai. Rio de Janeiro, Bertrand Brasil, 2009.

SCHELLING, T. C. What is the Business of Organized Crime. v. 40, p. 643–652, 1971.

SILVA, L. F. G. E M. R. DA. Organizações Criminosas e Técnicas Especiais de Investigação. 1a. ed. Salvador: JusPODIVM, 2015.

SMITH, J. D. A História da Máfia. Tradução de Beatriz Medina. São Paulo. M. Books, 2015.

VELLOSO, R. R. O crime organizado. p. 6, 2006.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.