A INSUFICIÊNCIA DO DIREITO INTERNACIONAL AOS ATUAIS CONFLITOS DA HUMANIDADE: TRANSDISCIPLINARIEDADE

Nathalia Penha Cardoso de França

Resumo


A lógica clássica não mais explica os acontecimentos da humanidade. As questões que enfrenta a comunidade internacional não podem ser interpretadas, muito menos resolvidas, pela lógica binominal maniqueísta, sob pena de se tornar fundamento para xenofobia, racismo, violência de gênero, antissemitismo e ultranacionalismo. A complexidade dos acontecimentos requer um diálogo permanente entre os sistemas do conhecimento humano para explicar, com maior clareza, tais problemas. O Direito Internacional é um desses sistemas insuficientes para resolver as questões a ele submetidas, devendo constantemente importar conceitos, regras e conhecimentos de outras áreas do Direito e das ciências. Em vez de fazê-lo caso a caso, o diálogo intersistêmico intermitente da transdisciplinariedade pretende, a priori, fundir os sistemas que se aplicam a um tema. São os casos do Direito Internacional dos Direitos Humanos, do Pluralismo Jurídico, do Comércio Internacional e da Cibersegurança.

Palavras-chave


Transdisciplinariedade – Complexidade – Lógica – Conhecimento - Direito Internacional.

Texto completo:

PDF

Referências


ALTO COMISSÁRIO DAS NAÇÕES UNIDAS PARA OS DIREITOS HUMANOS. The right to privacy in the digital age, 2014. Disponível em . Acesso em: 05/05/2017.

ARISTÓTELES. Analíticos anteriores. 1ª ed. São Paulo: Guimarães Livreiros e Editores, 1986.

______________, De Anima. Apresentação, tradução e notas de Maria Cecília Gomes Reis. São Paulo. Ed. 34, 2006.

______________, Metafísica. Vols. I, II, III, 2ª edição. Ensaio introdutório, tradução do texto grego, sumário e comentários de Giovanni Reale. Tradução portuguesa Marcelo Perine. São Paulo: Edições Loyola. 2002.

BRODY, Tomás A. On Quantum Logic, in Foundation of Physics. Vol. 14, n° 5. Berlim: Springer 1984.

CIJ (Corte Internacional de Justiça). Obligation to Negotiate Access to the Pacific Ocean (Bolivia v. Chile). Disponível em: . Acesso em: 10/05/2017.

CIRET - Centro Internacional de Pesquisas e Estudos Transdisciplinares. A new vision of the word: Transdisciplinarity. Nova Iorque: State University of New York (SUNY) Press, 2012. Disponível em: . Acesso em: 10/05/2017.

COOK, Tim. A Message to Our Customers. 2016. Disponível em: . Acesso em: 14/05/2017.

EBRADI. Hackers param o Poder Judiciário e o Ministério Público em São Paulo. 12 de maio de 2017. Disponível em: . Acesso em: 14/05/2017.

GÜNTHER, G. Beiträge zur Grundlegung einer operationsfähigen Dialektik I. Hamburg: Meiner, 1976.

KENEALLY, Meghan e LIDDY, Tom. Abc News. 2 San Bernardino Shooting Suspects Identified After Being Killed in Shootout, Police Say. Disponível em: . Acesso em: 14/05/2017.

LUPASCO, Stéphane. Le principe d'antagonisme et la logique de l'énergie. 2ª ed. Le Rocher: Paris, 1987.

MENEZES, Wagner (coord.). Estudos de Direito Internacional. Vol. XXI. Curitiba: Juruá Editora, 2011.

MUELLER, R. R. Trabalho, produção da existência e do conhecimento: o fetichismo do conceito de interdisciplinaridade. 115f. Dissertação (Mestrado em Educação) - Programa de Pós-Graduação em Educação, Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2006.

NICOLESCU, Basarab. Transdisciplinarity and Complexity: Levels of Reality as Source of Indeterminacy. In Bulletin Interactif du Centre International de Recherches et Études transdisciplinaires n° 15, 2000. Disponível em: . Acesso em: 10/05/2017.

NICOLESCU, Basarab. Nous, la particule et le monde. Paris: Le Mail, 1985.

______________, O Manifesto da Transdisciplinaridade. Tradução de Lucia Pereira de Souza. São Paulo: Triom, 1999.

PIAGET, Jean. Epistemologie des relations interdisciplinaires. In CERI (EDS.) L’interdisciplinarité: Problèmes d´enseignement et de recherche dans les Universités. Paris: UNESCO/OCDE, 1972.

PIOVESAN, Flávia. Direitos Humanos e Direito Constitucional internacional. São Paulo: Saraiva, 2012.

SANTOS, Ana Cristina Souza dos & SANTOS, Akiko. Da disciplinaridade à transdisciplinaridade: Obstáculos epistemológicos. Texto apresentado no GT-Didática, ANPED: Caxambu-MG, 2005.

SCHACHTER, Oscar. International Law in theory and practice: General Course in International Law. In Collected Courses of the Hague Academy of International Law (Volume 178). Leida: Brill, 1982.

SCHÖNBERGER-MAYER, Viktor; CUKIER Kenneth. Big data: como extrair volume, variedade, velocidade e valor da avalanche de informação cotidiana. Tradução Paulo Palzonoff Junior. Rio de Janeiro: Elsevier, 2013.

SOMMERMAN, Américo. Inter ou transdisciplinaridade? Da fragmentação disciplinar a um novo diálogo entre os saberes. São Paulo: Paulus, 2006.

VELASCO, Manuel Díez. Instituiciones de Derecho Internacional Público. 12ª ed. Madrid: Tecnos, 1999.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.