GLOBALIZAÇÃO E DIREITO HUMANO AMBIENTAL

Oscar Silvestre Filho, Eduardo Dias de Souza Ferreira

Resumo


O objetivo deste artigo tem a finalidade de analisar o fenômeno da globalização e suas meras transformações na sociedade contemporânea pós-revolução industrial. Percebe-se que, com o advento da tecnologia, o século XX fica caracterizado como percepção da atuação humana na produção de efeitos negativos, efeitos esses entendidos como degradação do meio ambiente em virtude do modelo capitalista de produção, caracterizando, consequentemente, a chamada Sociedade de Risco. Assim, pretende-se observar as mudanças ocorridas na passagem do século XX para o século XXI, analisando o modelo econômico capitalista, em comparação com documentos internacionais que caracterizam, no contexto da globalização, o direito ao meio ambiente como sendo um direito humano, com vistas ao pleno desenvolvimento sustentável.

Palavras-chave


Globalização – Meio Ambiente – Direito Humano Ambiental – Desenvolvimento Sustentável.

Texto completo:

PDF

Referências


BALERA, Wagner, Declaração sobre o direito ao desenvolvimento anotada, Curitiba: Juruá, 2015.

BALERA, Wagner; SILVA, Roberta Soares Da (Organizadores), Comentários aos objetivos de desenvolvimento sustentável, São Paulo, Editora Verbatim, 2018.

BAUMANN, Zygmunt, Globalização: as consequências humanas, Rio de Janeiro: Zahar, 1999.

BECK, Ulrich, Sociedade de risco: rumo a outra modernidade, 2ª ed., São Paulo: Editora 34, 2011.

CÂMARA DOS DEPUTADOS, Conferência das nações unidas sobre o meio ambiente e desenvolvimento: de acordo com a Resolução nº 44/228 da Assembleia Geral da ONU, de 22-12-89, estabelece uma abordagem equilibrada e integrada das questões relativas ao meio ambiente e desenvolvimento: a Agenda 21, Brasília: Câmara dos Deputados, Coordenação de Publicações, 1995.

CASELLA, Paulo Borba; JUNIOR, Umberto Celli; MEIRELLES, Elizabeth de Almeida; POLIDO, Fabrício Bertini Pasquot (Organizadores), Direito internacional humanismo e globalidade, São Paulo: Atlas, 2008.

GIDDENS, Anthony. As consequências da modernidade, São Paulo: UNESP, 1991.

IANNI, Octávio, A sociedade global, 13ª ed., Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2008.

IANNI, Octávio, Teorias da globalização, 16ª ed., Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2010.

NAÇÕES UNIDAS NO BRASIL, A ONU e o meio ambiente. Disponível in https://nacoesunidas.org/acao/meio-ambiente/, Acesso em 19.03.2018.

PADILHA, Norma Sueli, Fundamentos constitucionais do direito ambiental brasileiro, Rio de Janeiro: Elsevier, 2010.

PAPA FRANCISCO, Carta Encíclica Laudato Si: sobre o cuidado da casa comum, 1ª ed., 4ª reimpressão, São Paulo: Paulinas, 2015.

SENADO FEDERAL, Da conferência das nações unidas para o meio ambiente humano, em Estocolmo, à Rio 92: a agenda ambiental para os países e elaboração de documentos por comissão mundial sobre o meio ambiente e desenvolvimento. Disponível em: http://www.senado.gov.br/noticias/Jornal/emdiscussao/rio20/a-rio20/conferencia-das-nacoes-unidas-para-o-meio-ambiente-humano-estocolmo-rio-92-agenda-ambiental-paises-elaboracao-documentos-comissao-mundial-sobre-meio-ambiente-e-desenvolvimento.aspx, Acesso em 16.03.2018.

SENADO FEDERAL, Direitos humanos: atos internacionais e normas correlatas, 4ª ed., Brasília: Senado Federal, Coordenação de Edições Técnicas, 2013.

SENADO FEDERAL, Estocolmo 72, Rio de Janeiro 92 e Joanesburgo 02: as três grandes conferências ambientais internacionais. Disponível em: https://www12.senado.leg.br/publicacoes/estudos-legislativos/tipos-de-estudos/boletins-legislativos/boletim-no-6-de-2011-estocolmo72-rio-de-janeiro92-e-joanesburgo02-as-tres-grandes-conferencias-ambientais-internacionais Acesso em 19.03.2018.

SENADO FEDERAL, Temas e agendas para o desenvolvimento sustentável, Brasília: Senado Federal, Subsecretaria de Edições Técnicas, 2012.

TREVISOL, Joviles Vitório, A educação ambiental em uma sociedade de risco, Joaçaba: Ed. Unoesc, 2003.




DOI: https://doi.org/10.23925/2526-6284.2019next1p18-31

Apontamentos

  • Não há apontamentos.