A dor que não se vê: depressão em endoscopia digestiva alta

Sthefano Atique Gabriel, Luciana Cristante Izar, Cristiane Knoop Tristão, Lorenza Seleghini Franzin, Sandra Eneida Monteiro de Pina, José Roberto Pretel Pereira Job

Resumo


As relações entre emoções e o aparelho digestivo são conhecidas desde os primórdios. Alguns autores afirmam que o tubo digestivo é o sistema orgânico através do qual os sentimentos se expressam mais comumente e que os distúrbios gastrintestinais constituem, com as cefaléias, as doenças psicossomáticas mais freqüentes em medicina. A depressão representa um dos transtornos psiquiátricos de maior prevalência, estimando-se que até 6% da população geral seja acometida por ela. Estima-se que 15% da população apresentará sintomatologia depressiva em algum momento da vida. Durante experiências profissionais, percebeu-se um grande índice de indivíduos afetados por distúrbios gastrintestinais, muitos deles com transtornos depressivos concomitantes.


Palavras-chave


dor; depressão

Texto completo:

PDF

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais



Apoio: ..............................................................................................................................................

    

Fundação São Paulo - Hospital universitário

 



 

Rev. Fac. Ciênc. Méd. Sorocaba, Sorocaba, SP, Brasil, e-ISSN 1984-4840

A Revista da Faculdade de Ciências Médicas de Sorocaba está licenciada com uma Licença Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional.