“NÃO É SÓ PELO DIPLOMA”: AS OCUPAÇÕES DAS ESCOLAS E OS PROCESSOS CURRICULARES

Regina Moura Macedo, Neila Monteiro Monteiro Espindola, Allan Carvalho Rodrigues

Resumo


A proposta deste artigo é pôr em discussão saberes produzidos e processos vividos durante a ocupação das escolas estaduais do Rio de Janeiro, a fim de contribuir para o debate sobre os currículos das escolas públicas brasileiras. Constituindo-se como um estudo nos/dos/com os cotidianos escolares (Alves, 2008), compreende os estudantes como praticantes (Certeau, 1994), como inventores de táticas e astúcias para forjar suas trajetórias formativas nos múltiplos contextos, com as múltiplas redes em que tecem experiências e sentidos (Alves, 2008). Visa a problematizar as relações entre os currículos instituídos e os currículos produzidos nas escolas, identificando desafios e indícios do que seria uma escola de qualidade para os estudantes. Para tanto, historia o processo das ocupações das escolas no Brasil e analisa narrativas produzidas por estudantes e professores em debate sobre as ocupações, ocorrido na Faculdade de Formação de Professores da Universidade do Estado do Rio de Janeiro. Como opção teórico-metodológica, considera as conversas (Larrosa, 2003) e os diálogos (Freire, 1996 e Bakhtin, 1997) como fundantes. Busca evidenciar conhecimentos antes silenciados (Santos, 2004) ao abordar práticas curriculares narradas pelos estudantes. Pistas dadas pelas narrativas apontam grande descompasso entre as políticas instituídas e os modelos de escola praticados nas ocupações, sugerindo disputas importantes, em busca da desejada emancipação social e de um projeto de escola com a qualidade desejada pelos estudantes.


Palavras-chave


Ocupação das escolas. Currículos. Cotidiano escolar.

Texto completo:

PDF

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Revista e-Curriculum                                   e-ISSN 1809-3876

Indexadores:

Nacionais

              

 

Internacionais