A DESCOLONIZAÇÃO CURRICULAR EM UMA ESCOLA QUILOMBOLA – UMA POSSIBILIDADE DE MAIOR JUSTIÇA CURRICULAR E SOCIAL

Valéria Campos Cavalcante, Paulo Marinho

Resumo


Este artigo destaca a construção e desenvolvimento de uma descolonização curricular assente em fundos de conhecimentos culturais e processos de recontextualização curricular aportados na diversidade de conhecimentos de uma comunidade quilombola. Teve por base uma pesquisa interventiva-colaborativa que assumiu como objetivo geral a construção e desenvolvimento de currículos contra-hegemônicos, no sentido de possibilitar uma maior justiça curricular e social, em contextos caracterizados por vigorosas exclusões de várias ordens. O estudo envolveu alunos e professoras do ensino fundamental, estudantes e professores/pesquisadores do ensino superior. A vivência deste currículo permitiu extrapolar o currículo hegemónico engessado a legados epistemológicos do colonialismo, em que os estudantes teceram suas práticas, a partir de redes de conhecimentos já existentes, ampliando saberes sobre a cultura da comunidade em que vivem. Permitiu o reconhecimento, reconstrução e fortalecimento de uma identidade cultural e promoveu uma maior motivação e participação ativa na construção das aprendizagens dos alunos, constituindo-se em uma possibilidade de maior justiça curricular e social.


Palavras-chave


Currículo; Justiça curricular e social; Escola quilombola; Descolonização curricular.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.23925/1809-3876.2019v17i3p963-989

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Revista e-Curriculum                                   e-ISSN 1809-3876

Indexadores:

Nacionais

              

 

Internacionais