ELES, OS DESGRAÇADOS! OU MANIFESTO PARA PENSAR UM CURRÍCULO AMOROSO

Lêda Valéria Alves da Silva, Sílvia Nogueira Chaves

Resumo


Neste texto manifesto defendemos a ideia de que é possível pensar um currículo para a Educação Ambiental que extravase, que nos lance para outros movimentos, que nos tire da paralisia, que faz apenas reclamar e gritar palavras de ordem para o homem, mas que criem forças ativas contra as forças reativas. A ideia é fazer um exercício de aproximação conceitual entre os conceitos de resistência de Antonio Negri e linhas de fuga de Gilles Deleuze para pensar um currículo para a Educação Ambiental como resistência através daquelas vidas que olhamos como menores, inúteis. Assim, o que desejamos é inventar; pensar linhas de fugas; rachar as linhas clássicas inscritas no currículo sendimentarizado. Talvez seja o momento de pensar no amor como um espaço de criação e resistência para imaginarmos outra Educação ambiental Pensar uma Educação ambiental que potencialize a experiência, a vida. Criar linhas de fuga através do oceano, buscando outras formas de existir, de agir quando se fala no ambiente. A ideia não é mudar os paradigmas, mas sair deles.


Palavras-chave


Currículo; Educação Ambiental; Resistência; Linhas de fuga; Amor.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.23925/1809-3876.2019v17i4p1648-1664

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Revista e-Curriculum                                   e-ISSN 1809-3876

Indexadores:

Nacionais

              

 

Internacionais