Respondendo ao risco de terrorismo: a contribuição da metáfora

Lynne Cameron

Resumo


Este estudo baseado no discurso investigou aspectos afetivos e semânticos de metáforas usados por pessoas ao falarem no risco de terrorismo em potencial. 96 informantes do público inglês organizados por sexo, religião (Mulçumanos / não-Mulçumanos), e estatus social participaram de 12 grupos focais de discussão. Foram identificadas e transcritas 12.362, metáforas, codificadas por domínio de veículo e tópico discursivo, as quais foram submetidas a análises qualitativas e quantitativas. Em contraste com metáforas dominantemente negativas encontradas em estudos da media e no discurso político, as pessoas ‘comuns’ usam uma variedade de metáforas sistemáticas que se interrelacionam e incluem “JOGOS DE AZAR”, “MUNDO NATURAL” e “TEATRO”. O afeto funciona em metáforas linguísticas com diversos domínios fonte, e em conexão com linguagem não metafórica tal como reflexão sobre ações e expressão explícita de empatia. Gênero, religião e classe social se interrelacionam em preferências quanto à metáfora.

Palavras-chave


metáfora; discurso falado; terrorismo; risco; grupos de discussão

Texto completo:

PDF (English)

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM


Revista Delta-Documentação e Estudos em Linguística Teórica e Aplicada ISSN 1678-460X