A POLÍTICA DE IDENTIDADES NA SOCIOLINGÜÍSTICA QUANTITATIVA E NA GEOLINGÜÍSTICA MONODIMENSIONAL: O INFORMANTE

Maria Isabel Borges

Resumo


Neste trabalho, procuramos apontar alguns aspectos das políticas de identidades e de representação em torno da figura do informante, em estudos feitos a partir das bases de dados do VARSUL (Variação Lingüística Urbana na Região Sul do Brasil) e do ALERS (Atlas Lingüístico-etnográfico da Região Sul do Brasil). Na primeira base de dados, os pressupostos teóricos e metodológicos são da sociolingüística quantitativa enquanto, na segunda base de dados, os pressupostos teóricos e metodológicos são da geolingüística monodimensional. Nossa base teórica é constituída, principalmente, pelos trabalhos de Rajagopalan (1998; 2003), Hall (1996; 2003) e Bauman (2000; 1997; 1998). Foi possível, assim, observar como a língua e o informante são representados.

Palavras-chave


política de identidades; política de representação; informante; variação lingüística

Texto completo:

PDF

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM


Revista Delta-Documentação e Estudos em Linguística Teórica e Aplicada ISSN 1678-460X