Dificuldades de graduandos em Matemática na compreensão de conceitos que envolvem o estudo da estrutura algébrica grupo
Difficulties of mathematics graduate students in comprehending concepts related to the study of the algebraic structure group

Henrique Rizek Elias, Angela Marta Pereira das Dores Savioli

Resumo


O presente artigo tem como objetivo identificar e interpretar dificuldades de estudantes na compreensão de conceitos que envolvem o estudo da estrutura algébrica grupo. Para tanto, realizamos entrevistas semiestruturadas com oito graduandos em Matemática, as quais nos permitiram, por meio de respostas incorretas, identificar vinte dificuldades no estudo de grupos. A partir dessas dificuldades, caracterizamos as concepções (ação, processo, objeto), segundo a teoria APOS de Dubinsky, de cada estudante. Dentre as dificuldades, evidenciamos dificuldades com conceitos prévios ao estudo de grupos, como os conceitos de conjunto e de função, além de dificuldades em compreender grupo como um objeto matemático. Com relação às concepções, obervamos que a maioria dos estudantes possui uma concepção ação do conceito.

 

Abstract

The objective of this study was to identify and interpret the difficulties that students have to understand concepts related to the study of the algebraic structure group. To do so, semi structured interviews were conducted with eight students majoring in mathematics, whose incorrect answers led to the identification of twenty difficulties in the study group. From these, we characterized the conceptions (action, process, object), according to Dubinsky’s APOS theory, of each student. Among the listed difficulties, we could evidence difficulties with conceptsprior to the study of groups, such as the concepts of sets and functions, and also difficulties to comprehend group as a mathematical object. With regard to the conceptions, we observed that most of the students have an action conception of the concept.

 


Palavras-chave


dificuldades; teoria APOS; estrutura algébrica grupo.

Texto completo:

PDF

Referências


BOGDAN, R. C.; BIKLEN, S. K. (1994).Investigação Qualitativa em Educação:uma introdução à teoria e aos métodos. Tradução sob direção de Maria João Alvarez, Sara Bahia dos Santos e Telmo Mourinho Baptista. Porto: Porto Editora.

BRANDEMBERG, J. C. (2010).Uma análise histórico-epistemológica do conceito de grupo. São Paulo: Editora Livraria da Física.

BROWN, A. et al (1997). Learning Binary Operations, Groups, and Subgroups.Journalofmathematicalbehavior, v.16, n.3, p.187-239.

BUENO, S. (1966). Grande Dicionário Etimológico Prosódico da Língua Portuguesa. São Paulo: Edição Saraiva, v.6.

BUSSMAN, C. J.de C.; SAVIOLI, A. M. P. das D. (2011). Conhecimentos Mobilizados por Estudantes do Curso de Matemática sobre o Conceito de Grupo. Boletim Gepem, Rio de Janeiro, n.58, p.33-49.

CAMPOS, E. (2009). A noção de congruência algébrica no Curso de Matemática:uma análise das respostas dos estudantes. 2009. Tese (Doutorado em Educação) –Universidade Federal do Paraná, Curitiba.

DOMINGOS, A. (2006) Teorias cognitivas e aprendizagem dos conceitos matemáticos avançados. In: SEMINÁRIO DE INVESTIGAÇÃO EM EDUCAÇÃO MATEMÁTICA, 17, 2006, Setúbal.Anais... Setúbal.

DUBINSKY, E. et al (1994). On learning fundamental concepts of groups theory. Educational Studies in Mathematics, v.27. Disponívelem.Acessoem: 11 ago. 2011.

DUBINSKY, E.; MCDONALD, M. A. (2001). APOS: A Constructivist Theory of Learning in Undergrad Mathematics Education Research. In: HOLTON, D. (Eds.), The teaching and Learning of Mathematics at University Level: An ICMI Study. Dordrecht:KluwerAcademicPublishers. p.275-282. Disponível em . Acesso em: 11 ago. 2011.

DUBINSKY, E. (2002).Reflective abstraction in advanced mathematical thinking. In: TALL, David. (Org.),Advanced mathematical thinking, Dordrecht: Kluwer Academic Publishers, p.95-123.

HAZZAN, O. (1999).Reducing abstraction level when learning abstract algebra concepts.Educational Studies in Mathematics,v.40, n.1, p.71-90.

LAJOIE, C. (2000).Difficultés liées aus premiers apprentissages em théorie des groupes.2000. Tese (Doutorado) – Faculté des études supérieures de l’Université Laval, Québec.

LERON, U.; HAZZAN, O.; ZAZKIS, R. (1995).Learning group isomorphism: a crossroads of many concepts.Educational Studies in Mathematics, v.29, n.2, p.153-174.

LÜDKE, M.; ANDRÉ, M. E. D. (2001). Pesquisa em Educação: abordagens qualitativas. 6 ed. São Paulo: Pedagógica e Universitária.

MACEDO, L. (1993). O construtivismo e sua função educacional. Educação e Realidade, Porto Alegre, v.18, n.1, p.25-31. Disponível em: . Acesso em 11 ago. 2011.

MILIES, F. C. P. (1992). Uma breve introdução à história da teoria de grupo. In: ESCOLA DE ÁLGEBRA, 12, 1992, Diamantina. Atas... Diamantina: Sociedade Brasileira de Matemática.

PRADO, E. A. (2010). Alunos que contemplaram um curso de extensão em Álgebra Linear e suas concepções sobre base de um espaço vetorial. 2010. 185f. Dissertação (Mestrado em Educação Matemática) – Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo.

TALL, D. (1995).Cognitive growth in elementary and advanced mathematical thinking.In: INTERNATIONAL CONFERENCE FOR THE PSYCHOLOGY OF MATHEMATICS EDUCATION, 19, 1995, Recife. Anais… Recife, v.1, p.161-175.

WEISZFLOG, W. (1998). (Org.) Michaelis: moderno dicionário da língua portuguesa. São Paulo: Melhoramentos.


Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM


INDEXADORES DA REVISTA