Um ambiente de aprendizagem baseado na resolução de problemas: a possibilidade de circulação de significações sobre probabilidade por meio da linguagem
A learning environment based on solving problems: the possible flow of meanings about probability

Lia Marocci, Adair Mendes Nacarato

Resumo


Resumo

Este artigo representa o recorte de uma pesquisa de mestrado que estudou o movimento de significações relativas a probabilidades em uma sala de aula do Ensino Médio, imersa num ambiente de resolução de problemas. Nesse contexto, discutimos condições para a organização de um ambiente de aprendizagem, apontando algumas questões teóricas, articulando a perspectiva histórico-cultural com as discussões sobre linguagem, resolução de problemas e ensino de probabilidade. Em seguida apresentamos o contexto de desenvolvimento da pesquisa, que se constituiu numa parceria extremamente colaborativa entre pesquisadora e professora. Por fim, apresentamos um episódio relativo à linguagem probabilística.

 

Abstract

This work represents the outline of a research that has studied the meanings movement about probability in a classroom of high school immersed in a problem solving environment. In this context, we discuss conditions for the organization of a learning environment, pointing out some theoretical issues, articulating the historical-cultural perspective to the discussions about language, problem solving and teaching probability. Then, we present the context of research development, which has become a highly collaborative partnership between researcher and teacher. Finally, we present an episode that took place in math class on the probabilistic language.

 



Palavras-chave


Resolução de Problemas; Ensino de Probabilidade; Perspectiva histórico-cultural

Texto completo:

PDF

Referências


ALRØ, H.; SKOVSMOSE, O. Diálogo e aprendizagem em Educação Matemática. Tradução: Orlando Figueiredo. 2. ed. Belo Horizonte: Autêntica, 2010.

AZCARÁTE, P. G. ¿Por quê no nos gusta enseñar estadística y probabilidad? In: FLORES, P. y LUPIÁÑEZ, J. (Ed.). Investigación en el aula de matemáticas.Estadística y Azar. Granada: SAEM Thales. 2006. Disponível em: http://thales.cica.es/granada/?q=node/4/Conferencias/Azcarate. Acesso em: 2 jul. 2011.

BATANERO, C.http://www.ugr.es/~batanero/ARTICULOS/ConferenciaThales2006.pdfIn: FLORES, P. y LUPIÁÑEZ, J. (Ed.). Investigación en el aula de matemáticas. Estadística y Azar. Granada: Sociedad de Educación Matemática. 2006. Disponívelem: .Acesso em: 01 jul. 2011.

BATANERO, Carmen. Didáctica de la estadística. Grupo de Investigación en Educación Estadística. Departamento de Didáctica de la Matemática, 2001.

BORBA, M. C.; SKOVSMOSE, O. A ideologia da certeza em educação matemática. In: SKOVSMOSE, O. Educação matemática crítica:a questão da democracia. 2.ed. Campinas, SP: Papirus, 2001. p. 127-148.(Coleção Perspectivas em Educação Matemática).

FREIRE, P. Pedagogia da autonomia:saberes necessários à prática educativa. São Paulo: Paz e Terra, 1996.

FURLAN, J.Processos de avaliação na resolução de problemas em estocástica.2011. 259 p. Dissertação (Mestrado em Educação) – Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em Educação, Universidade São Francisco, Itatiba/SP.

GÓES, M.C. R. de; CRUZ, Maria Nazaré da. Sentido, significado e conceito: notas sobre as contribuições de Lev Vygotski. Pro-Posições– Faculdade de Educação, Universidade Estadual de Campinas, Campinas, SP, v. 17, n. 2(50), p. 31-46, maio/ago. 2006.

GOOS, M. Learning Mathematics in a classroom community of inquiry.Journal for Research in Mathematics Education – NCTM, USA, v. 35, Issue 4, p. 258-291, July 2004.

HIEBERT, J.et al.Making sense:Teaching and learning mathematics with understanding. Portsmouth: Heinemann, 1997.

IBIAPINA, I. M. L. de M. Pesquisa colaborativa: investigação, formação e produção de conhecimento.Brasília: Liber Livro, 2008. (Série Pesquisa, v. 17).

LOPES, C. E.; CARVALHO, C.Literacia Estatística na educação básica. In: NACARATO, A. M.; LOPES, C. E. (Org.) Escritas e leituras na educação matemática.Belo Horizonte: Autêntica, 2005. p. 77-92.

LOPES, C. E.; COUTINHO, C. Q. S. Leitura e escrita em Educação Estatística. In: LOPES, C. E.; NACARATO, A. M. Educação matemática, leitura e escrita:armadilhas, utopias e realidades. Campinas, SP: Mercado de Letras, 2009. p. 61-78.

MAROCCI, L. M. O Movimento das significações probabilísticas proporcionado pela resolução de problemas e pela prática colaborativa numa turma de 1º ano do Ensino Médio.2011, 233 p. Dissertação(Mestrado em Educação) — Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em Educação, Universidade São Francisco, Itatiba/SP.

OLIVEIRA, M. K.de. Aprendizado e desenvolvimento: um processo sócio-histórico. São Paulo: Scipione, 1993.(Série Pensamento e Ação no Magistério).

ONUCHIC, L. de L. R. Ensino-aprendizagem de matemática através de resolução de problemas. In: BICUDO, M.Ap.V. (Org.). Pesquisa em Educação Matemática:concepções e perspectivas. São Paulo: Editora da Unesp, 1999. p. 199-218.

PINO, A. O conceito de mediação semiótica em Vygotsky e seu papel na explicação do psiquismo humano. Cadernos CEDES, Campinas, SP: Papirus, n. 24, p. 32-43, 1991.

SANTOS, V. de M. Linguagens e comunicação na aula de Matemática. In: NACARATO, A. M.; LOPES, C. E. (Org.) Escritas e leituras na educação matemática.Belo Horizonte: Autêntica, 2005. p. 117-125.

SHAUGHNESSY, J. M.. Research in probability and statistics: reflections and directions. In: GROUWS, D. A. (Ed.).Handbook of research on mathematics teaching and learning.USA: NCTM, 1992. p. 465-494.

VAN DE WALLE, J. A. Matemática no Ensino Fundamental: formação de professores e aplicação em sala de aula. Tradução: Paulo Henrique Colonese. 6.ed. Porto Alegre: Artmed, 2009.

VIGOTSKI, L. S.A construção do pensamento e da linguagem.Tradução: Paulo Bezerra. São Paulo: Martins Fontes, 2000.

_____. A formação social da mente: o desenvolvimento dos processos psicológicos superiores. Organizadores: Michael Cole et al. Tradução: José Cipolla Neto, Luís Silveira Menna Barreto, Solange Castro Afeche. 7.ed. São Paulo: Martins Fontes, 2007.

VILA, A.; CALLEJO M. L. Matemática para aprender a pensar:o papel das crenças na resolução de problemas. Tradução: Ernani Rosa. Porto Alegre: Artmed, 2006.


Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM


INDEXADORES DA REVISTA