(Re)construindo o conceito de paralelogramo com o software Klogo:uma experiência com professores de matemática
(Re)constructing the parallelogram concept with the software klogo: the case of one math’s teacher in an training action

Ádamo Duarte Oliveira, Suely Scherer

Resumo


Este artigo apresenta um recorte de uma pesquisa cujo objetivo é investigar se e como conceitos de paralelogramos são (re)construídos por professores de matemática do 6° ao 9° ano do Ensino Fundamental, participantes de uma ação de formação continuada, ao realizarem atividades com o software Klogo. A ação de formação foi estruturada em encontros presencias e virtuais. O referencial teórico da pesquisa são os estudos de Brosseau (2008), sobre a Teoria das Situações Didáticas e os estudos desenvolvidos por Valente (1997, 2003, 2005), que trata do ciclo de ações e a espiral da aprendizagem. A análise dos dados mostra que ao realizar atividades com o software Klogo, o sujeito de pesquisa analisado neste artigo (re)construiu o conceito de paralelogramo; e que o papel do formador foi importante para favorecer o processo de reconstrução de conceitos.

Abstract

This article is part of a research master whose objective was to investigate if and how, concepts of parallelograms are (re)constructed by math’s teachers from the sixth to the 9th grade of elementary school, in a continuing training action, while managing activities with the software Klogo. This article examines the process of one of the teachers participating in the research masters. The graduating action was done by alive and virtual meetings. The theoretical reference of the research is the Theory of Didactic Situations and the studies about the cycle of actions and the spiral of learning. The facts analysis depicts that when performing activities with the software Klogo, the teacher  analyzed this article (re) built the concept of parallelogram; and that the trainer's role was important to promote the reconstruction of concepts.

 


Palavras-chave


(re)construção de conhecimentos; o ciclo de ações e a espiral de aprendizagem; formação continuada de professores

Texto completo:

PDF

Referências


ALMEIDA, Maria Elizabeth Bianconcini Trindade Morato Pinto de. Informática e Educação Diretrizes para uma Formação Reflexiva de Professores. 1996. 194f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo. 1996.

BECKER, Fernando. Ensino e Construção do Conhecimento: o Processo de Abstração Reflexionante. Educação e Realidade. Porto Alegre, v.18, n.01, p. 43 -52,jan./jun.. 1993.

BROSSEAU, Guy. Introdução ao estudo das situações didáticas: conteúdos e métodos de ensino. São Paulo: Ática, 2008.

FREITAS, José Luiz Magalhães. Teoria das Situações. In: MACHADO, Silvia Dias Alcântara (Org.). Educação Matemática: uma (nova) introdução. São Paulo: EDUC, 2008. p. 77-111.

KENSKI, Vani Moreira. Tecnologias de Ensino Presencial e a Distância. São Paulo: Papirus, 2003.

PAPERT, Seymour. A máquina das Crianças. Porto Alegre: Artemed, 2008.

VALENTE, José Armado. Informática na Educação: instrucionismo x construcionismo. 1997. Disponível em: Acesso em : 20 set.2011.

__________, José Armando. Pesquisa, Comunicação e Aprendizagem com o Computador. 2003. Disponível em: . Acesso em: 10 maio 2011.

__________, José Armando. A espiral da espiral de aprendizagem: o processo de compreensão do papel das tecnologias de informação e comunicação. 2005. Tese (livre docência) – Universidade Estadual de Campinas.Instituo de Artes, São Paulo. 2005.


Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM


INDEXADORES DA REVISTA