Educação Financeira: entendimentos de inflação em uma turma de 9º Ano do Ensino Fundamental
Financial Education: inflation achievement in a 9th grade group from Elementary School

Suziane Dias Almansa, Rita de Cássia Pistóia Mariani

Resumo


Este artigo objetiva analisar entendimentos não matemáticos mobilizados por alunos do 9º Ano do Ensino Fundamental ao desenvolverem tarefas sobre a noção de inflação. Para tanto, fundamenta-se nos pressupostos da Educação Financeira Escolar enfatizando dimensões social, familiar e pessoal (SILVA; POWELL, 2013) e nos princípios para o planejamento de um Ambiente de Educação Financeira Escolar (MUNIZ JR., 2016). Adotam-se os pressupostos da pesquisa qualitativa, seguindo princípios da análise de conteúdo e se toma como base cinco tarefas que abordam a temática a partir de discussões sobre custo da cesta básica e dos combustíveis. A partir da análise dos dados produzidos foram sistematizadas quatro categorias, a saber: entendimentos gerais e correlatos de inflação, inflação de custo, inflação de demanda e inflação inercial.

Palavras-chave


Ambiente de Educação Financeira Escolar; Inflação de Demanda, Inflação de Custo.

Texto completo:

PDF

Referências


apresentou princípios para elaboração de atividades, tais como:

✓ estimular a produção de significados dos alunos;

✓ ampliar os significados que podem ser produzidos, permitir diferentes estratégias de resolução e possibilitar que elas se tornem objeto de atenção de todos;

✓ possibilitar que vários elementos do pensar matematicamente estejam em discussão, como a análise da razoabilidade dos resultados;

✓ estimativas, tomadas de decisão, a busca de padrões nas resoluções, o desenvolvimento de estratégias de resolução de problemas;

✓ apresentar situações abertas que propiciem vários caminhos de resolução. (CAMPOS, 2012, p. 76).

Baseado em fundamentos econômicos, o autor definiu inflação como:

[...] processo de aumento contínuo e generalizado de preços dos bens e serviços negociados em um país. Contínuo porque o aumento dos preços ocorre ao longo de meses, anos e até décadas. Generalizado porque ele acontece no preço da maioria dos bens e serviços, tais como, alimentos, automóveis, aluguéis, passagens de ônibus, gasolina, cafezinho e pão francês. Estas duas características são importantes para se dizer que houve inflação.(VITAL, 2014, p. 57, grifos do autor)

“pelo excesso de demanda agregada (Inflação de Demanda) da inflação por elevação de custos (Inflação de Custos) e da inflação devida aos mecanismos de indexação de preços (Inflação Inercial)” (VASCONCELLOS; GARCIA, 2014, p. 242).

A Educação Financeira Escolar contribuiu para a organização de um ambiente no qual foi possível discutir e refletir sobre inflação por meio do “estudo interdisciplinar envolvendo as dimensões culturais, sociais, políticas e psicológicas, além da econômica, sobre as questões do consumo, trabalho e dinheiro, além de promover o desenvolvimento de competências pessoais e sociais dos alunos” (BRASIL, 2017, p. 267)

Salienta-se que as proposta de um currículo para EFE baseados nas dimensões e eixos (SILVA; POWELL, 2013) e os princípios para planejamento de um AEFE, sugeridos por Muniz Jr. (2016), foram de extrema importância, pois corroboraram com os objetivos deste trabalho.

REFERÊNCIAS

AMARAL, G.P. Educação Matemática Financeira: construção do conceito de moeda no último ano do ensino fundamental. Dissertação (Mestrado Profissional em Educação em Ciências e Matemática). Instituto Federal do Espírito Santo, Espírito Santo, 2013.

BARDIN, Laurence. Análise de Conteúdo. São Paulo: Edições 70, 2011.

BRASIL. Base Nacional Comum Curricular. 2017. Disponível em: . Acesso em: 15 mar. 2017.

______. Orientações para Educação Financeira nas Escolas. 2011. Disponível em: Acesso em: 08 set. 2017

CAMPOS, M.B. Educação financeira na matemática do ensino fundamental: uma análise da produção de significados. Dissertação (Mestrado em Educação Matemática). Universidade Federal de Juiz de Fora, Minas Gerais, 2012.

FARO, C. Fundamentos da Matemática Financeira: uma introdução ao cálculo financeiro e a análise de investimento de risco. São Paulo: Saraiva, 2006.

LÜDKE, M.; ANDRÉ, M. E. D. A. Pesquisa em Educação: abordagens qualitativas. São Paulo: EPU, 1986.

MATHIAS, W.F; GOMES, J.M. Matemática Financeira. 6.ed. São Paulo: Atlas, 2011.

MUNIZ Jr., I; Econs Ou Humanos? Um Estudo Sobre a Tomada de decisão em Ambientes de Educação Financeira Escolar. Tese de Doutorado, Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, Brasil. 2016.

PINHO, D.B; VASCONCELLOS, M.A.S; TONETO Jr, R. Introdução à Economia. São Paulo: Saraiva, 2011.

SILVA, A. M.; POWELL, A. B. Um Programa de Educação Financeira para a Matemática Escolar da Educação Básica. Anais do XI ENEM – XI Encontro Nacional de Educação Matemática, Curitiba, 2013.

SILVA, R. Educação Matemática Financeira no Ensino Médio: construção de atividades envolvendo cálculo do custo de vida. Dissertação (Mestrado Profissional em Educação em Ciências e Matemática). Instituto Federal do Espírito Santo, Espírito Santo, 2016.

SILVEIRA, L.F. Mooc na Educação Financeira: análise e proposta de desenvolvimento. Dissertação (Mestrado Profissional em Educação Matemática). Universidade Federal de Juiz de Fora, Minas Gerais, 2016.

VASCONCELLOS, M. A. S. de; GARCIA, M. E. Fundamentos de Economia, 5. ed. São Paulo: Saraiva, 2014.

VICECONTI, P.; NEVES, S. Introdução à Economia, 12. ed. São Paulo: Saraiva, 2013

VITAL, M. Educação Financeira e Educação Matemática: Inflação de Preços. Dissertação (Mestrado em Educação Matemática). Universidade Federal de Juiz de Fora, Minas Gerais, 2014.




DOI: https://doi.org/10.23925/1983-3156.2018v21i2p085-104

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM


INDEXADORES DA REVISTA