Sou professora de Matemática tradicional! Análise de traços de identidade de Amanda em relação à constituição profissional
I'm traditional math teacher! Analyzing traces of Amanda's identity in relation to the professional constitution

Douglas da Silva Tinti, Ana Lúcia Manrique

Resumo


Este artigo analisa a constituição profissional e o entendimento acerca dos processos de ensino e de aprendizagem de uma professora de Matemática, denominada Amanda, membro de uma Comunidade de Prática – CoP, constituída em um dos projetos do OBEDUC. Os dados foram coletados a partir de narrativas e transcrições de encontros da CoP e analisados por meio da teoria social da aprendizagem. A análise permitiu a percepção de diferentes processos de identificação, negociabilidade e afiliação que permearam a escolha e a inserção profissional da professora. Além disso, ao considerarmos os componentes: propriedade de significado e economia de significados, foi possível identificar a constituição do processo de negociabilidade da Amanda em relação ao Ensino da Matemática desde sua inserção como professora de Matemática.

Palavras-chave


Comunidade de Prática; Identidade; Desenvolvimento Profissional; OBEDUC

Texto completo:

PDF

Referências


BERNSTEIN, B. Pedagogy, symbolic control and identify: theory, research, critique. Lanham: Rowman & Littlefield, 2000.

COCHRAN-SMITH, M.; LYTLE, S. L. Inquiry as stance: practitioner research for nextgeneration. New York: Teacher College Press, 2009.

FIORENTINI, D. Quando acadêmicos da universidade e professores da escola básica constituem uma comunidade de prática reflexiva e investigativa. In: FIORENTINI, D.; GRANDO, R. C.; MISKULIN, R. G. S.. Práticas de formação e de pesquisa de professores que ensinam matemática. Campinas, SP: Mercado das Letras, 2009. p. 233-256.

GRAVEN, M.; LERMAN, S. WENGER, E (1998). Communities of practice: learning, meaning and identity. Journal of Mathematics Teacher Education, Netherlands, v. 6, n. 2, p. 185-194, jun. 2003.

IMBERNÓN, F. Formação docente e profissional: formar-se para a mudança e a incerteza. Trad. LEITE, Silvana C. 8 ed. São Paulo: Cortez. 2010.

LAVE, J.; WENGER, E. Situated Learning: Legitimate Peripheral Participation. Cambridge: Cambridge University Press, 1991.

OLIVEIRA, A. M.P. Desenvolvimento Profissional de Professores que Ensinam Matemática: colaboração e materiais curriculares no âmbito do Programa Observatório da Educação (OBEDUC). In: 37º Reunião Nacional da ANPEd – Trabalho Encomendado GT 19, Anais ..., Florianópolis, 2015.

WENGER, E. Communities of Practice: Learning, meaning, and identity. New York: Cambridge University Press, 1998.

_______. Comunidades de Práctica: Aprendizaje, significado e identidad. Barcelona: Paidós Editora, 2011.

_______. Knowledge management as a doughnut: Shaping tours knowledge strategy through communities of practice. In: Ivey Business Journal, January/February. London: Copyright, p. 1-8, 2004.

WENGER, E.; MCDERMOTT, R.; SNYDER, W. M. Cultivating communities of practice. Boston: Harvard Business School Press, 2002.




DOI: https://doi.org/10.23925/1983-3156.2019v21i1p383-404

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM


INDEXADORES DA REVISTA