Possibilidades de uso da engenharia didática na educação matemática e no ensino regular
Possibilities of using didactic engineering in mathematics education and regular education

Renan Gustavo Araujo de Lima, Tatiani Garcia Neves

Resumo


Neste artigo temos como objetivo discutir sobre modos de utilização da Engenharia Didática no campo educacional, seja como uma metodologia de pesquisa para o desenvolvimento de investigações na área da Educação Matemática, nos seus modos de uso no ensino regular ou como ferramenta para elaborar materiais e sequências de ensino ou para a formação de professores. Em um primeiro momento, discorremos acerca de estudos do campo da Didática da Matemática, a Teoria dos Campos Conceituais e a Teoria das Situações Didáticas com seu foco no processo de ensino e aprendizagem da Matemática. Nesse contexto, apresentamos a Engenharia Didática como metodologia de pesquisa que contribui para a elaboração, desenvolvimento e análise de sequências didáticas e explanamos sobre duas pesquisas desenvolvidas no Grupo de Estudos em Didática da Matemática (DDMat). No segundo momento, expomos outras possibilidades de estudos com a Engenharia Didática, na perspectiva de formação de professores e na produção de materiais didáticos para o ensino regular, a citar, as transformações de sequências didáticas desenvolvidas na vertente da metodologia da Engenharia Didática.

Palavras-chave


Engenharia Didática; Sequências Didáticas; Formação de Professores

Texto completo:

PDF

Referências


ARTIGUE, Michèle. Engenharia Didática. In: BRUN, Jean. (Org.) Didáctica das Matemáticas. Lisboa: Instituto Piaget, 1996. p. 193-217.

BITTAR, Marilena. Contribuições da Teoria das Situações Didáticas e da Engenharia Didática para Discutir o Ensino de Matemática. In. TELES, Rosinalda Aurora de Melo; Borba, Rute Elisabete de Souza Rosa; MONTEIRO, Carlos Eduardo Ferreira (Orgs.) Investigações em Didática da Matemática. Vol. 2, Editora UFPE, Recife, 2017, p. 101-132

BRASIL, Ministério da Educação: Secretaria de Educação Fundamental. Parâmetros curriculares nacionais: Matemática. Brasília: MEC/SEF, 1997.

BROUSSEAU, G. Introduction à l’ingénierie didactique, 2013. Disponível em: http://guy-brousseau.com/wp-content/uploads/2013/12/Introduction-%C3%A0-ling%C3%A9nierie-didactique3.pdf Acesso em 4 maio de 2018

BROUSSEAU, Guy. Fundamentos e Métodos da Didáctica da Matemática. In: BRUN, Jean. (Org.) Didáctica das Matemáticas. Lisboa: Instituto Piaget, 1996. p. 35-113.

BROUSSEAU, Guy. Introdução ao Estudo das Situações Didáticas: Conteúdos e métodos de ensino. São Paulo: Ática, 2008.

CHEVALLARD, Yves. La notion d’ingénieriedidactique, un concept à refonder; ClermontFerrand, 16-23 août 2009. Disponível em http://yves.chevallard.free.fr. Acesso em junho de 2018.

DUVAL, R. Registros de Representações Semióticas e funcionamento cognitivo da compreensão em matemática. In: MACHADO, Silvia Dias Alcântara (Org.). Aprendizagem em Matemática: Registro de Representação Semiótica. 1 ed. São Paulo: PAPIRUS, 2003. p. 11- 33..

GOBERT, Sophie. Une ingénierie didactique pour le développement pratique de description de formes géométriques à l’école maternelle. In Margolinas et all.(org.): En amont et en aval des ingénieries didactiques, XVª École d´Été de Didactique des Mathématiques – ClermontFerrand (PUY-de-Dôme). Recherches em Didactique des Mathématiques. Grenoble : La Pensée Sauvage, v. 2, p. 283-304, 2009.

LABORDE, Colette. Towards theoretical foundations of mathematics education. In. ZDM Mathematics Education, v. 39, p 137-144, 2007.

LIMA, Renan Gustavo Araújo de. Problemas de combinatória: um estudo de conhecimentos mobilizados por licenciandos em Matemática. 2015. 198 f. Dissertação (Mestrado em Educação Matemática) – Universidade Federal de Mato Grosso do Sul, Campo Grande, 2015.

PERRIN-GLORIAN, Marie-Jeanne. L’ingénierie didactique a l’interface de la recherche avec l’enseignement. Développement des ressources et formação des enseignants. In Margolinas et all.(org.): En amont et en aval des ingénieries didactiques, XVª École d´Été de Didactique des Mathématiques – ClermontFerrand (PUY-de-Dôme). Recherches em Didactique des Mathématiques. Grenoble : La Pensée Sauvage, v. 1, p. 57-78, 2009.

PERRIN-GLORIAN, Marie-Jeanne; BELLEMAIN, Paula Moreira Baltar. L’Ingenierie didactique entre recherche et ressource pour l’enseignement et la formation des maitres. In.: I Simpósio Latino-Americano de Didática da Matemática. Bonito, 2016.

PESSOA, Cristiane Azevedo dos Santos; BORBA, Rute Elizabete de Souza Rosa. O desenvolvimento do raciocínio combinatório na escolarização básica. In: EM TEIA - Revista de Educação Matemática e Tecnológica Iberoamericana, vol. 1, n. 1, 2010.

QUEIROZ, Páblo Carcheski de. Uma proposta para o ensino de funções articulando as linguagens algébrica e geométrica. 2014. 158 f. Dissertação (Mestrado em Educação Matemática) – Universidade Federal de Mato Grosso do Sul, Campo Grande, 2014

VERGNAUD, Gérard. A Teoria dos Campos Conceituais. In: BRUN, Jean. (Org.) Didáctica das Matemáticas. Lisboa: Instituto Piaget, 1996. p. 155-191.

VERGNAUD, Gérard. O que é aprender? In: BITTAR, Marilena; MUNIZ, Cristiano. (Orgs). A aprendizagem Matemática na perspectiva da Teoria dos Campos Conceituais. Curitiba: Editora CRV, 2009b. p.13-35.




DOI: https://doi.org/10.23925/1983-3156.2019v21i5p694-708

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM


INDEXADORES DA REVISTA