AS FANFICTIONS E AS RELAÇÕES DISCURSIVAS NO CIBERESPAÇO: PARTICIPAÇÃO SOCIAL POR MEIO DA LÍNGUA INGLESA

Felipe Sousa ADATI, Felipe Trevisan FERREIRA, Vera Lúcia Lopes CRISTOVÃO

Resumo


A literatura, na medida em que é uma expressão artística, catártica e íntima dos pensamentos do autor, é também um ato social; e, como tal, transforma o meio em que é difundida (Cândido, 2000). Ela se transforma diacronicamente a fim de adaptar-se ao meio em que se insere ou, pelo contrário, quebrar os paradigmas vigentes. É nesse solo, influenciado pelo advento da internet, que brotam as fanfictions: textos literários criados por fãs de determinado ícone midiático que circulam no ciberespaço e que, apesar de sua despretensão, configuram grandes possibilidades ao empoderamento dos estudantes pela educação. Assim, este trabalho busca apresentar um mapeamento de trabalhos acerca do uso desses textos como instrumentos educacionais e analisar de que modo eles podem contribuir para a atenuação da condição de vulnerabilidade social e para o ensino de Língua Inglesa


Palavras-chave


Fanfiction; Língua inglesa; Vulnerabilidade social

Texto completo:

PDF

Referências


ABRAMOVAY, M.; CASTRO, M. G.; PINHEIRO, L. C.; LIMA, F. S.; MARTINELLI, C. C. 2002. Juventude, violência e vulnerabilidade social na América Latina: desafios para políticas públicas. Brasília: UNESCO, BID.

ADATI, F.; TREVISAN FERREIRA, F.; CRISTÓVÃO, V. L. L. 2017. O uso de gêneros da esfera digital em contextos de vulnerabilidade social: duas propostas de sequência didática. In: EL KADRI, M. S.; ORTENZI, D. I. G.; RAMOS, S. G. M. (Orgs) 2017. Tecnologias digitais no ensino de línguas e na formação de professores: reorganizando sistemas educacionais. Campinas, SP : Pontes Editores, ISBN 978-85-7113.

ALVES, E. C. A. 2014. Um Estudo Sobre Fanfiction: a leitura e a escrita no ambiente digital. Eventos Pedagógicos, v. 5, p. 38-47.

ANDERSON, B. 2008. Comunidades Imaginadas. São Paulo. Cia das Letras.

BARCELLOS, P. S. C. C. 2013. Mineração textual e produção de fanfictions: processos desencadeadores de oportunidades de letramento no ensino de língua estrangeira. Tese de Doutorado. Universidade do Rio Grande do Sul. Porto Alegre.

BLACK, R. W. 2005. Access and affiliation: The literacy and composition practices of English-language learners in an online fanfiction community. Journal of Adolescent and Adult Literacy, v. 49, n. 2.

_____. 2008. Adolescents and online fanfiction. New York: Peter Lang Publishing.

BOURDIEU, P. A. 1999. Escola Conservadora: as desigualdades frente à escola e à cultura. In NOGUEIRA, M. A.; CATANI, A. Escritos de Educação. 2 ed. Petrópolis: Vozes.

________.; PASSERON, J. C. 1970. A Reprodução: elementos para uma teoria do sistema de ensino. 3. ed. Rio de Janeiro: Francisco Alves.

CÂNDIDO, A. 2000. Literatura e Sociedade: estudos de teoria e história literária. 8ª. ed. São Paulo: T. A. Queiroz.

CARDOSO, T. C. A. 2013. Quando a produção e a recepção se entrelaçam: um estudo de caso do fenômeno literário Cinquenta Tons de Cinza. Monografia. Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre,

COSTA, P. S. C.; REATEGUI, E. B. 2010. O papel das ferramentas digitais no letramento através de narrativas fanfiction. CINTED (UFRGS) v.8, n.2.

FREIRE, P. 1987. Pedagogia do Oprimido. Ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra.

JENKINS, H. 2009. Cultura da Convergência. Tradução de Susana Alexandria. São Paulo: Aleph.

KOREN, N. B. 2012. O Fã de Fã: um estudo da relação entre leitores e ficwriters no site fanfiction.net. Monografia. Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre.

LEMES, T.; CRISTOVÃO, V.L.L. (no prelo). Grupos socialmente vulneráveis do município de Londrina: mapeamento e possibilidade de participação social.

LÉVY, P. 2008. Cibercultura. Trad. Carlos Irineu da Costa. São Paulo: Editora 34.

MAGNONI A. F. ; MIRANDA, G. V. 2013. Novas formas de comunicação no século XXI: o fenômeno da cultura participativa. Conexão – Comunicação e Cultura, v. 12, n. 23.

MACHADO, A. R.; CRISTOVÃO, V. L. L. 2010. A construção de modelos didáticos de gêneros: aportes e questionamentos para o ensino de gêneros. Linguagem em (Dis)curso, [S.l.], v. 6, n. 3, p. p. 547-573, out. ISSN 1982-4017. Disponível em: . Acesso em: 27 maio 2017.

MASSUNAGA, A. P. 2013. Construções discursivas situadas sobre práticas sociais de fãs em ambientes virtuais. Dissertação de Mestrado. Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro.

MOITA LOPES, L.P. 2005. Inglês no mundo contemporâneo: ampliando oportunidades sociais por meio da educação. Texto-base do Simpósio da TIRF (TESOL International Research Foundation), realizado em São Paulo, mimeo.

___________. 2006. Linguística Aplicada e Vida Contemporânea: Problematização dos Construtos que têm Orientado a Pesquisa. In.: ___________. (Org.) 2006. Por uma Linguìstica Aplicada Indisciplinar. São Paulo: Parábola Editorial.

RIOS-REGISTRO, E. S.; ALMEIDA, D. 2014. Fanfiction: elaboração de uma proposta didática do gênero. In: EL KADRI, M. S.; PASSONI, T. P.; GAMERO, R. (Orgs) 2014. Tendências contemporâneas para o ensino de língua inglesa: propostas didáticas para a educação básica. Campinas: Ed. Pontes.

SANTOS, L. M. A.; GAMERO, R. e GIMENEZ, T. 2014. Letramentos digitais, interdisciplinaridade e aprendizagem de língua inglesa por alunos do ensino médio. Trabalhos em Linguística Aplicada, v. 53, p. 79-102,

SNYDER, I. 2009. Ame-os ou deixe-os: navegando no panorama de letramentos em tempos digitais. In: ARAÚJO, J. C.; DIEB, M. (org.) 2009. Letramentos na Web: gêneros, interação e ensino. Fortaleza: Edições UFC..

VARGAS, M. L. B. 2005. O fenômeno fanfiction: novas leituras e escrituras em meio eletrônico. Passo Fundo: Ed. Universidade de Passo Fundo.

VERSUTI, A. C.; LIMA, D. J.; SILVA, D. D. A. 2012. O potencial das fanfics baseadas em Star Wars para a Educação. VI Colóquio Internacional “Educação e Contemporaneidade”, São Cristóvão.




DOI: https://doi.org/10.23925/2318-7115.2017v38i1a3

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM


Indexicadores

Apoio

A Revista The Especialist e os textos aqui publicados estão licenciados com uma Lincença Creative Commons: Atribuição 4.0 Internacional (CC BY 4.0)