Tradução, linguística de corpus e sociologia da educação: intersecções e similitudes

Talita Serpa, Diva Cardoso de Camargo

Resumo


No presente trabalho, procuramos desenhar uma possível articulação entre teorizações sociológico-pedagógicas e premissas dos Estudos Descritivos da Tradução, dos Estudos da Tradução Baseados em Corpus e da Linguística de Corpus, a fim de incitar discussões a respeito de uma Pedagogia da Tradução Baseada em Corpus. Para tanto, trazemos à baila proposições da Sociologia da Educação acerca do ensino do habitus, o qual, no plano da Tradução, seria entendido como um padrão de disposições duráveis passíveis de serem apreendidas tendo por uma de suas bases a frequência de usos vocabulares e a verificação das estratégias reincidentes, entre diversos fatores. Nesse modelo em específico, procuramos, pois, associar um habitus ao uso de corpora e promover uma conduta profissional que atrela fatores culturais, sociais e linguísticos ao conjunto de saberes e competências do tradutor. 


Palavras-chave


Pedagogia da Tradução Baseada em Corpus, Habitus Tradutório, Competências Tradutórias, Ensino e Aprendizagem

Texto completo:

PDF

Referências


ALVES, F. (2003). Tradução, cognição e contextualização: triangulando a interface processo-produto no desempenho de tratudores novatos. DELTA, v.19, n.especial, p.71-108.

ALVES, F., MAGALHÃES, C.M.; PAGANO, A. (2000). Traduzir com autonomia: estratégias para o tradutor em formação. São Paulo: Contexto.

______. (Orgs.) (2005). Competência em Tradução: cognição e discurso. Belo Horizonte: Editora UFMG.

BAKER, M. (1992). In other words: a coursebook on translation. Londres: Routledge.

______. (1993). Corpus linguistics and translation studies: implications and applications. In: Baker, M.; Francis, G.; Tognini-Bonelli, E. (Ed.) Text and technology: in honour of John Sinclair. Amsterdã: Jonh Benjamins. p. 233-250.

______. (1995). Corpora in translation studies: an overview and some suggestions for future research. Target, V.7, n. 2, p. 223-243.

______. (1996). Corpora in translation studies: the challenges that lie ahead. In : SOMERS, H. (Ed.) Terminology, LSP and translation studies in language enginnering: in honour of Juan C. Sager. Amesterdã: John Benjamins, p. 177-186.

______. (1999). Linguística e estudos culturais: paradigmas complementares ou antagônicos nos estudos da Tradução? In: MARTINS, M.A.P. (Org.) Tradução e multidisciplinaridade. Rio de Janeiro: Lucena, , p. 15-34.

______. (2000). Towards a Methodology for investigation the style of literary translation. Target, Amsterdã, V. 12, n. 2, p. 241-266.

BERBER SARDINHA, A P. (2000). Uso de corpora na formação de tradutores. DELTA 19: Especial, p. 43-70.

______. (2004). Linguística de corpus. São Paulo: Manole.

______. 2010. Como usar a Linguística de Corpus no Ensino de Língua Estrangeira–por uma Linguística de Corpus Educacional brasileira. In: TAGNIN, S.E.O.; VIANA, V. Corpora no Ensino de Línguas Estrangeiras. São Paulo: HUB Editorial, p. 293-348.

BOURDIEU, P. (1980). Questions de sociologie. Paris : Éd. de Minuit,.

______. (1982). Estrutura, habitus e prática. In: Bourdieu, P. (Org.) A economia das trocas simbólicas. São Paulo: Perspectiva, p. 203-229.

______. (1983). Esboço de uma teoria de prática. In: ORTIZ, R. Pierre Bourdieu. São Paulo: Ática.

________. (2001). Meditações pascalianas. Trad. Sergio Miceli. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil.

______; Darbel, A. (2003). A. O amor pela Arte: os museus de arte na Europa e seu público. Tradução: Guilherme João de Freitas Teixeira. São Paulo: Editora da Universidade de São Paulo: Zouk.

CAMARGO, D.C. (2007). Metodologia de pesquisa em Tradução e linguística de corpus. São Paulo: Cultura Acadêmica/São José do Rio Preto: Laboratório Editorial. Coleção Brochuras, v.1. 65p.

______. (2011). Uso de corpora no ensino da tradução: um estudo de caso. In: INPLA – Intercâmbio de Pesquisas em Linguística Aplicada, São Paulo. Resumos: São Paulo: Inpla, p. 41.

CHARLIER, E. (2001). Formar professores profissionais para uma formação contínua articulada à prática. Formando professores profissionais: Quais estratégias?, p. 85-102.

DURKHEIM, É. (1995). A evolução pedagógica. Tradução de Bruno Chaves Magne. Porto Alegre: Artes Médicas.

HURTADO ALBIR, A. (1993). Un nuevo enfoque de la didáctica de la traducción. Metodología y diseño curricular. Les langues étrangères dans l’Europe de l’acte Unique, ICE Universitat Autònoma de Barcelona.

______. (1995). Didáctica de la traduccíon. In: Le BEL, E. (ed.) Le masque et la plume. Traducir: reflexiones, experiencias y prácticas. Sevilha: Universidade de Sevilha.

______. (dir.) (1999). Enseñar a traducir. Metodología en la formación de traductores e intérpretes. Madrid: Edelsa.

______. (2000). La competencia traductora y su adquisición. Un modelo holístico y dinámico. Perspectives: studies in translatology, v. 7, n. 2, p. 177-188.

______. (2001). Traducción y traductología. Introducción a la traductología. Madrid: Cátedra.

______. (2005). A aquisição da competência tradutória: aspectos teóricos e didáticos. In: Alves,F.; Magalhães,C.M.; Pagano,A. (Orgs.) Competência em Tradução: cognição e discurso. Belo Horizonte: Editora UFMG, p. 19-57.

LAVIOSA, S. (2008). Description in the Translation Classroom. In: PYM A.; SHLESINGER, M.; SIMEONI, D. (Eds.) Beyond Descriptive Translation Studies: Investigations in Homage to Gideon Toury. Amsterdam/ Philadelphia: John Benjamins Publishing Company, p. 119-132.

LAHIRE, B. (1997). Sucesso escolar nos meios populares: as razões do improvável. São Paulo: Ática.

______. (1998). L’homme pluriel. Paris: Nathan.

______. (1999). Le travail sociologique de Pierre Bourdieu: dettes et critiques. Paris: La Découvert.

PERRENOUD, P. (1996). L'Analyse collective des pratiques pédagogiques peut-elle transformerles praticiens? In: ACTES de l'Université d'Été L'analyse des pratiques en vue dutransfert des réussites. Paris, Ministère de l'Éducation Nationale, de l'EnseignementSupérieur et de la Recherche, p.17-34.

______. (1999). Formar professores em contextos sociais em mudança: prática reflexiva e participação crítica. Revista brasileira de educação, v. 12, n. 5-21.

______. (2000). Dez novas competências para ensinar. Porto Alegre: Artes Médicas Sul.

______. (2001). O trabalho sobre o habitus na formação de professores: análise das práticas e tomada de consciência. In: PERRENOUD, P.; PAQUAY, L.; ALTET, M.; CHARLIER, E. (Orgs.) Formando professores profissionais: Quais estratégias? Quais competências? Porto Alegre: ARTMED.

______. (2002). Da prática reflexiva ao trabalho sobre o habitus. In:_____. Prática Reflexiva no oficio de professor: profissionalização e razão pedagógica. Porto Alegre: ARTMED.

______. (2002). A postura reflexiva: questão de saber ou de habitus?. In: ___. Prática reflexiva no oficio de professor: profissionalização e razão pedagógica. Porto Alegre: ARTMED.

PEARSON, J. (2003). Using parallel texts in the translator training environment. In: Zanettin, F.; Bernardini, S.; Stewart, D. (Org.) Corpora in translator education, Manchester: St. Jerome. p. 15-24.

TARDIF, M.; LESSARD, C.; LAHAYE, L. (1991). Os professores face ao saber: esboço de uma problemática do saber docente. Teoria e educação, v. 4, p. 215-233.

TARDIF, M. (2002). Saberes docentes e formação profissional. Tradução de Francisco Pereira.Petrópolis: Vozes.

TOURY, G. (1978). The nature and role of norms in literary translation. In: Holmes, J.; Lambert, J; Van Den Broeck, R. (Ed.). Literature and translation. Leuven: ACCO, p. 83-100 [Versão revisada em Venuti, L. (Ed.). 2000. The translation studies reader. London/New York: Routledge, p. 205 -218].

______. (1984). Translation, literary translation and pseudotranslation.Comparative Criticism, v. 6, p. 73-85.

______. (1995). Descriptive Translation Studies and Beyond. Amsterdam and Philadelphia: John Benjamins.

VARANTOLA, K. (2003). Translators and disposable corpora. Corpora in translator education, p. 55-70.

ZANETTIN, F. (1998). Bilingual comparable corpora and the training of translators. Meta, v. 43, n. 4, p. 616-630.

ZANETTIN, F.; BERNARDINI, S.; STEWART, D. (2003). Corpora in translator education. Manchester: St. Jerome.




DOI: https://doi.org/10.23925/2318-7115.2018v39i3a6

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM


Indexicadores

Apoio

A Revista The Especialist e os textos aqui publicados estão licenciados com uma Lincença Creative Commons: Atribuição 4.0 Internacional (CC BY 4.0)