Expressões Idiomáticas da Língua Inglesa: uma compreensão sob o olhar da Pragmática

Iveuta de Abreu Lopes, Célia de Freitas Araújo Neta, Thalita Christina Cavalcante Arré

Resumo


Este artigo resulta da observação de uma atividade de leitura em Língua Inglesa. Com o objetivo de verificar a compreensão que estudantes de inglês demonstram sobre algumas expressões idiomáticas, foram selecionados cinco alunos de uma turma de segundo ano do Ensino Médio e foi proposto que eles realizassem duas atividades: uma com expressões idiomáticas descontextualizadas e outra utilizando essas mesmas expressões imersas em contextos de uso. As análises partiram de conceitos clássicos como contexto, sentido e significado, sentido literal e sentido implicado, discutidos sob o viés de teorias pragmáticas, com base em autores como Levinson (2007), Armengaud (2006), Fiorin (2013, 2014), e de pesquisadores da área do Ensino e Aprendizagem da Língua Inglesa, como Crystal (1997), Brown (2004), Souza (2005), entre outros. A partir das análises, observou-se emergir algumas dificuldades e equívocos na compreensão das expressões apresentadas isoladamente, o que não ocorreu quando inseridas em contextos específicos de uso


Palavras-chave


Expressões idiomáticas, Língua inglesa, Pragmática, Leitura, Contexto

Texto completo:

PDF

Referências


ARMENGAUD, Françoise. A Pragmática. Trad. Marcos Marcionilo. São Paulo: Parábola, 2006.

BRASIL/SEMTEC (2000) Parâmetros Curriculares Nacionais: Ensino Médio. Brasília, DF:MEC/SEMTEC.

BRASIL/SEMTEC (2002) PCN + Ensino Médio: Orientações Educacionais Complementares aos Parâmetros Curriculares Nacionais. Volume Linguagens, Códigos e suas Tecnologias.

BROWN, H. D. Teaching by principles. An interactive approach to language pedagogy. New Jersey: Prentice Hall Regents, 1994.

BURKE, D. Biz talk: American business slang and jargon. Berkeley, California: Optima books, 2009.

CANÇADO, M. Manual de Semântica. São Paulo: Contexto, 2012.

CRYSTAL, D. English as a global language. Cambridge: Cambridge U.P., 1997.

DASCAL, M.; BERENSTEIN, I. Two modes of understanding: comprehending and grasping. In Language and communication. Netherland Institute for Advanced Study in the Humanities and Social Science, 1987.

FIORIN, J. L.; Discini, N. O uso linguístico: a pragmática e o discurso. In FIORIN, J. L. (Org.). Linguística? Que é isso? São Paulo: Contexto, 2013.

FIORIN, J. L. A linguagem em uso. In FIORIN, J. L. (Org.). Introdução à Linguística: Objetos teóricos. São Paulo: Contexto, 2014.

LEVINSON, S. C. Pragmática. Trad. Luís Carlos Borges, Anibal Mari. São Paulo: Martins Fontes, 2007

MORRIS, C. Fundamentos da teoria dos signos. Trad. António Fidalgo. Universidade da Beira Interior, 1994.

SAITO, F. S. Algumas expressões idiomáticas hiperbólicas do Português Brasileiro e suas relações com os frames de Avaliação e Massa Quantificada. Revista Gatilho, Ano VIII, n 16, maio de 2013.

SILVA, N. H. Metáfora e metonímia nas construções com pé: uma abordagem cognitivista. 2011. 112f. Dissertação (Mestrado em Letras). Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2011.

SOUZA, M. L. A Abordagem comunicativa: influências e reflexos no Ensino-aprendizagem de Língua Inglesa. São Luís, [s.n], 2005.

STONES, P. The importance of cultures and the process of learning English as a second/foreign language. New York: Warner Books, 2010.

WEEDWOOD, B. História concisa da linguística. Trad. Marcos Bagno. São Paulo: Parábola editorial, 2002.

WIDDOWSON, H. G. O ensino de línguas para a comunicação. Trad. José Carlos P. de Almeida Filho. Campinas. SP: Pontes, 1991.




DOI: https://doi.org/10.23925/2318-7115.2019v40i1a5

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM


Indexicadores

Apoio

A Revista The Especialist e os textos aqui publicados estão licenciados com uma Lincença Creative Commons: Atribuição 4.0 Internacional (CC BY 4.0)