Chamada de Artigos: FRONTEIRAZ 17

Reescrever a literatura infantil e juvenil nas dobras entrelaçadas à educação, comunicação e cultura na realidade brasileira, aponta, nesta segunda década do século XXI, para novos caminhos e questões que nos retornam à infância da linguagem como sua origem. Um dos ensinamentos propiciados por essa perspectiva é pensar e problematizar a linguagem e prever outros diagnósticos no campo experimental literário, que permitam ao pesquisador caracterizar essa literatura em pacto com a educação da criança e do jovem leitor. Descrever possíveis sistemas de linguagem, na comunicação e na educação da leitura nos propiciará a descoberta de seus lugares de origem e relações de poder que a eles se entrelaçam, cujos efeitos carecem de uma reavaliação metodológica e estética adequadas ao leitor em formação. Inúmeros territórios se delineiam para o exercício desse experimentalismo literário: literatura infantil e juvenil em graus de literariedade; comunicação e oralidade; performance e cultura popular; interação palavra e imagem em práticas artísticas ilustrativas; uso tecnológico de dispositivos multimidiáticos, designs do livro; mídias digitais e cênicas, dentre outros. São estas as dobras e seus extratos sugestivos que constituirão as proposições temáticas para este número da Revista FRONTEIRAZ.

Prazo para envio de artigos para submissão: até 20 de julho de 2016.

 

Lembramos que as seções de “Ensaios” e de “Resenhas” têm fluxo continuo, independentemente da temática em pauta para a seção de “Artigos”.

Para mais detalhes, consultar as normas de edição em “Diretrizes para autores” no endereço http://revistas.pucsp.br/fronteiraz

 

Editoras da temática: Maria José Palo e Elizabeth  Cardoso