A crítica literária feminista e os estudos de gênero: um passeio pelo território selvagem

Greicy Pinto Bellin

Resumo


O objetivo deste artigo é fazer uma breve revisão das principais correntes dos estudos feministas e de gênero, com a finalidade de analisar e avaliar o lugar ocupado por eles na crítica literária contemporânea e discutir de que forma eles podem oferecer uma interpretação diferenciada das obras literárias. O título do artigo parte da definição, proposta por Elaine Showalter, de que a crítica feminista é um “território selvagem”, devido ao pluralismo de tendências e aos impasses gerados por elas no interior de um ambiente acadêmico quase que totalmente dominado por homens. O presente artigo procura problematizar tais impasses, que vão desde a preocupação com o gênero de autoria até o uso do gênero como categoria de análise, que começa a se difundir no debate acadêmico a partir da década de 1990. Ao realizar este percurso, será possível compreender as leituras feministas e de gênero como leituras políticas, estritamente relacionadas com as relações de poder existentes em uma sociedade. Neste sentido, o artigo procurará destacar as relações da literatura com o meio social, mostrando de que forma as representações de gênero e também as convenções estéticas se relacionam com valores, atitudes e crenças que estão enraizadas em uma sociedade.

Palavras-chave


crítica literária, crítica feminista, estudos de gênero.

Texto completo:

PDF

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2017 FronteiraZ : Revista do Programa de Estudos Pós-Graduados em Literatura e Crítica Literária

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.

FronteiraZ está indexada em: