Vampiros e outras assombrações: imagens do medo na poesia de Torquato Neto

Elzimar Fernanda Nunes Ribeiro

Resumo


Autor icônico da Tropicália, Torquato Neto várias vezes recorreu à mítica do vampiro, e de outras criaturas assombrosas, para ajudar a compor o caráter maldito que pretendia conferir à sua obra. Frequentemente, tais imagens assombrosas se nutriram do ambiente de medo próprio da Ditadura Militar, o qual contribuiu para intensificar a experiência do pavor de existir, radicalmente experimentada por Torquato Neto enquanto homem e enquanto artista. Este trabalho estuda a mítica do vampiro e de outros seres bestiais em alguns de seus poemas, tendo como principal fundamentação teórica a sistematização do imaginário terrificante elaborada por Gilbert Durand.

Palavras-chave


poesia contemporânea; Ditadura Militar; imaginário

Texto completo:

PDF

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2017 FronteiraZ : Revista do Programa de Estudos Pós-Graduados em Literatura e Crítica Literária

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.

FronteiraZ está indexada em: