O narrador/profeta em A hora da estrela, de Clarice Lispector

Paulo César Carneiro Lopes

Resumo


Há em A hora da estrela continuidades e rupturas com relação ao restante da obra de Clarice Lispector. No que se refere ao narrador, pela primeira vez temos uma experiência radical de alteridade no sentido que o filósofo Lévinas dá ao termo. No que se refere à continuidade, podemos pensar Rodrigo S.M. como um outro da própria Clarice; há entre eles diferenças, mas estas se mostram mais como elementos da subjetividade profunda da própria autora. Já no que se refere à Macabéa, não se dá o mesmo; entre ela e Clarice/Rodrigo há diferenças radicais que não se resolvem apenas neste sentido. Ela é o outro negado em sua dignidade que, pelo seu existir, exige o ato de justiça que desfaça as condições que geram sua situação calamitosa.

Palavras-chave: Clarice Lispector; A hora da estrela; Freud, Emmanuel Lévinas e Enrique Dussel; Moisés e os profetas.


Palavras-chave


Clarice Lispector; A hora da estrela; Freud, Emmanuel Lévinas e Enrique Dussel; Moisés e os profetas.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.23925/1983-4373.2018i21p129-147

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2018 FronteiraZ : Revista do Programa de Estudos Pós-Graduados em Literatura e Crítica Literária

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.

FronteiraZ está indexada em: