A MITIGAÇÃO DE RISCOS POR MEIO DOS SISTEMAS DE COMPLIANCE, AUTORREGULAÇÃO E REGULAÇÃO ESTATAL

Tatiana Tosatti, Guilherme Casado

Resumo


O artigo propõe ao leitor navegar pela matéria do Compliance, da Autorregulação e da Regulação Estatal, conectando-os com fatos sociais, sem descuidar dos referenciais teóricos que os delimitam, numa tentativa de demonstrar que estes assuntos não estão desvinculados da realidade fática, e compõem uma unidade. Assim, a ausência ou presença desses elementos (Compliance, Autorregulação e Regulação Estatal) alteram rumos e implicam no aumento ou na diminuição de “Riscos”. O conceito de “Risco” abordado neste artigo funda-se nas teorias de Ulrick Beck e Antony Giddens.

Palavras-chave


Compliance – Autorregulação - Regulação Estatal - Risco.

Texto completo:

PDF

Referências


ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DAS ENTIDADES FECHADAS DE PREVIDÊNCIA COMPLEMENTAR (ABRAPP) http://sistemas.abrapp.org.br/apoio/autorregulacao/. Acesso em 31/05/2018.

BERBEL, Fábio Lopes Vilela. Teoria Geral da Previdência Privada. Florianópolis: Conceito Editorial, 2012.

Sobre esta proposição de reflexão, citamos a Segunda Grande Guerra Mundial, que apesar dos danos causados à sociedade daquele tempo, trouxe às atuais gerações inegáveis avanços científicos e sociais (Welfare Satete).

BECK, Ulrick. Liberdade ou Capitalismo: Ulrick Beck conversa com Johannes Willms. São Paulo, UNESP, 2002.

BECK, Ulrick. Sociedade de Risco: rumo a uma outra modernidade. São Paulo: Ed.34, 2010.

CASTELLS, Manuel. Redes de Indignação e esperança. Movimentos Sociais na era da Internet. 2.ed. Rio de Janeiro: Zahar, 2017.

CÓDIGO DE AUTORREGULAÇÃO EM GOVERNANÇA DE INVESTIMENTOS. Disponível em: http://sistemas.abrapp.org.br/apoio/autorregulacao/. Acesso em 31/05/2018.

FALTA DE LIDERANÇA FORMAL COMPLICA ACORDO ENTRE GOVERNO E CAMINHONEIROS. Disponível em: https://oglobo.globo.com/economia/falta-de-lideranca-formal-complica-acordo-entre-governo-caminhoneiros-22723803. Acesso em 28/05/2018.

GIDDENS, Anthony. A terceira via. Rio de Janeiro: Record, 1999.

GIOVANINI, Wagner. Compliance: a excelência na prática. São Paulo: Atlas, 2014.

GOBBI, Juliana Vianna Lacreta. Exequibilidade das decisões proferidas no âmbito de processos de regulação e melhores práticas da ANBIMA. São Paulo: Quartier Latin, 2012.

INSS CRIA GERÊNCIA DE COMPLIANCE PARA GARANTIR CUMPRIMENTO DE LEIS E NORMAS. Disponível em: http://agenciabrasil.ebc.com.br/geral/noticia/2017-11/inss-cria-gerencia-de-compliance-para-garantir-cumprimento-de-leis-e-normas. Acesso em 16.jun.2018.

MANZI, Vanessa Alessi. Compliance no Brasil: consolidação e perspectivas. São Paulo: Sain Paul Editora, 2008.

MELLO, Celso Antônio Bandeira de. Curso de Direito Administrativo. São Paulo: Malheiros, 2009.

OCDE GUIDELINES FOR MULTINATIONAL ENTERPRISES. Disponível em: https://www.oecd-ilibrary.org/governance/oecd-guidelines-for-multinational-enterprises_9789264115415-en. Acesso em 10/06/2018.

ORGANIZAÇÃO PARA A COOPERAÇÃO E O DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO (OCDE). OCDE Guidelines Multinacional Entreprises. Disponível em: https://www.oecd-ilibrary.org/governance/oecd-guidelines-for-multinational-enterprises_9789264115415-en. Acesso em 10/06/2018.

OS MILITARES NO PODER. Disponível em: https://crusoe.com.br/edicoes/5/os-militares-no-poder/. Acesso em 02/06/2018.

PINTO JUNIOR, Mário Engler. Empresa estatal: função econômica e dilemas societários. São Paulo: Atlas, 2013.

QUEIROZ, Cristina. O princípio da não reversibilidade dos Direitos Fundamentais Sociais. Coimbra: Coimbra Editora, 2006.

REZENDE, José Augusto da Silva. Fundos de Pensão no Brasil. Ferramentas de Gestão e Avaliação de Riscos. São Paulo: PUC/SP, 2010.

VERÍSSIMO, Carla. Compliance: incentivo à adoção de medidas anticorrupção. São Paulo: Saraiva, 2017.

ZANETTI. Gestão Temerária de fundos de pensão. São Paulo: PUC/SP, 2017.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.