Demência e saúde bucal

Sérgio Spezzia

Resumo


A demência é uma desordem neurodegenerativa que atinge o sistema nervoso central de forma progressiva e irreversível com declínio da função cognitiva. Ocorre perda da função cerebral, afetando memória, raciocínio, linguagem, juízo e comportamento. Relacionado à saúde bucal, encontra-se em pacientes demenciais uma higienização comprometida, devido à dificuldade encontrada por eles para a realização da própria higienização. Ocorre a perda do autocuidado. No exato momento em que se conhece o diagnóstico de demência, deve- se encaminhar o paciente para avaliação odontológica, pois com o avanço da doença, respectivamente com maior gravidade, existe dificuldade para realização de procedimentos odontológicos, devido a perda da colaboração do paciente. O tratamento odontológico englobará orientações sobre cuidados essenciais de higiene bucal para cuidadores e familiares, advindo da dependência de terceiros provocada pela impossibilidade da realização dos cuidados básicos por esses doentes. Ao executar-se um planejamento odontológico apropriado com enfoque preventivo, procurando atuar desde o diagnóstico da doença, pode-se auxiliar na melhora da qualidade de vida desses indivíduos. O presente trabalho tem por objetivo realizar uma atualização acerca de estudos sobre as repercussões bucais causadas pelas demências.


Palavras-chave


autocuidado; comportamento cooperativo; cuidadores

Texto completo:

PDF

Referências


Canineu PR. Demências: características clínicas gerais. 3ª ed. Rio de Janeiro: Instituto de Pesquisa GERP; 2003. v. 1.

Rauth J, Rodrigues N. Os desafios do envelhecimento no Brasil. In: Freitas EV, Py L, Néri AL, Cançado FAX, Gorzoni ML, Rocha SM, organizadores. Tratado de geriatria e gerontologia. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan; 2006.

Goiato MC, Santos DM, Barão VAR, Pesqueira AA, Gennari Filho H. Odontogeriatria e a Doença de Alzheimer. Pesq Bras Odontoped Clin Integr 2006;6(2):207-12.

Leal MCC, Marques APO, Marino JG, Austregésilo SC. Perfil de instituições asilares no município do Recife, PE, Brasil. Rev Bras Geriatr Gerontol. 2006;9(3):39-48.

Acevedo RA, Batista LHC, Trentin MS, Civil JA. Tratamento periodontal no paciente idoso. Rev Fac Odontol Univ Passo Fundo. 2001;6(2):57-62.

Duarte CA, Castro MVM. Geriatria: doença periodontal e cardíaca. RGO. 2001;49(1):40-4.

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Projeção da população do Brasil para o período 1980-2050: revisão, 2008. Rio de Janeiro: IBGE; 2004.

Melo I, Brito M. 181.586.030 brasileiros. Zero Hora. 2004: 31 ago.

Unluer S, Gokalp S, Dogan BG. Oral health status of the elderly in a residential home in Turkey. Gerodontology. 2007;24(1):22-9.

Colussi CF, Freitas SFT, Calvo MCM. Perfil epidemiológico da cárie e do uso e necessidade de prótese na população idosa de Biguaçu, Santa Catarina. Rev Bras Epidemiol. 2004;7(1):88-97.

Brasil. Ministério da Saúde. Projeto SB Brasil 2003: condições de saúde bucal da população brasileira 2002-2003: resultados principais. Brasília (DF): Ministério da Saúde; 2004.

Brunetti RF, Montenegro FLB. Odontogeriatria: noções de interesse clínico. São Paulo: Artes Médicas; 2002.

Loiselle L. Oral health and dementia: strategies and protocols. MAREP. 2006;5(2):1-4.

Rejnefelt I, Anderson P, Renvert S. Oral health status in individuals with dementia living in special facilities. Int J Dent Hyg. 2006;4(2):67-71.

Freitas EV, Py L, Cançado FAX, Gorzoni ML, organizadores. Tratado de geriatria e gerontologia. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan; 2003.

Srikanth S, Nagaraja AV. A prospective study of reversible dementias: Frequency, causes, clinical profile and results of treatment. Neurol India. 2005;53(3):291-4.

Kocaelli H, Yaltirik M, Yargic LI, Ozbas H. Alzheimer's disease and dental management. Oral Surg Oral Med Oral Pathol Oral Radiol Endod. 2002;93(5):521-4.

Friedlander AH, Norman DC, Mahler ME, Norman KM, Yagiela JA. Alzheimer's disease: psychopathology, medical management and dental implications. JADA. 2006;137(9):1240-51.

CID-10. Classificação Estatística Internacional de Doenças e Problemas Relacionados à Saúde - Décima Revisão. 4ª ed. São Paulo: EDUSP; 1994.

Carvalho AM. Demência como fator de risco para queda seguida de fratura grave em idosos [dissertação]. Rio de Janeiro: Escola Nacional de Saúde Pública; 2000.

Wannmacher L. Demência: evidências contemporâneas sobre a eficácia dos tratamentos. Uso Racional de Medicamentos: Temas Selecionados. 2005;2(4):16-20.

Galluci-Neto J, Tamelini MG, Forlenza OV. Diagnóstico diferencial das demências. Rev Psiquiatr Clin. 2005;32(3):119-30.

Johnston CB, Covinsky KE, Landefeld CS. Geriatric medicine. In: Tierney LM, McPhee SJ, Papadakis MA, editores. Current medical diagnosis and treatment. 42ª ed. New York: Lange Medical Books/McGraw-Hill; 2003.

Burns A, Lliffe S. Alzheimer's disease. BMJ. 2009; 338:b158.

Caramelli P, Barbosa MT. Como diagnosticar as quatro causas mais frequentes de demência? Rev Bras Psiquiatr. 2002;24(Supl 1):07-10.

Frenkel H. Alzheimer's disease and oral care. Dent Update 2004;31(5):273-4.

Varjão FM. Assistência odontológica para o paciente portador da doença de Alzheimer. Rev Odonto Ciência. 2006;21(53):284-8.

Brewer JB, Gabrieli JDE, Preston AR, Vaidya CJ, Rosen AC. Memory. In: Goetz CG, editor. Textbook of clinical neurology. 3rd ed. Philadelphia (PA): Saunders Elsevier; 2007.

Zuluaga DJM. Manejo odontológico de pacientes com demências. Rev Fed Odontol Colomb. 2002;(203):28-39.

Adam H, Preston AJ. The oral health of individuals with dementia in nursing homes. Gerodontology. 2006;23(2):99- 105.


Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais



Apoio: ..............................................................................................................................................

  



 

Rev. Fac. Ciênc. Méd. Sorocaba, Sorocaba, SP, Brasil, e-ISSN 1984-4840

A Revista da Faculdade de Ciências Médicas de Sorocaba está licenciada com uma Licença Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional.