O futuro Professor de Matemática e o processo de identificação com a profissão docente-um estudo sobre as contribuições da prática como componente curricular.

Siane Aparecida Guidini

Resumo


O objeto de estudo deste trabalho é o processo de identificação do futuro professor de Matemática com a profissão docente durante sua formação inicial, e as contribuições da Prática, como componente curricular, nesse processo. Assim, os objetivos deste estudo são, em primeiro lugar, reconhecer indícios de identificação com a profissão docente por parte dos futuros professores de Matemática, durante o curso de licenciatura, e, em segundo, conhecer e analisar as contribuições das experiências vividas pelos licenciados no desenvolvimento da Prática, como componente curricular, para a constituição de sua Identidade Profissional Docente. As questões que nortearam esta pesquisa foram: quais as relações entre as experiências vividas durante o desenvolvimento da Prática como componente curricular (na disciplina de Pratica de Ensino e Estágio Supervisionado) e a constituição da Identidade Profissional do futuro professor? Ainda, quais componentes dessas experiências contribuem para o processo de constituição dessa Identidade? Para o embasamento teórico, adotaram-se os conceitos de Identidade, Social e Profissional, a partir de Dubar, e de Identidade Profissional Docente, defendido por Guimarães. Consideraram-se também alguns fatores que exercem influência sobre a constituição dessa Identidade, além de apresentar como as normatizações orientam como a Prática, enquanto componente curricular, deve ser desenvolvida nos cursos de licenciatura. Adotou-se a abordagem qualitativa de pesquisa e coletaram-se os dados por meio de questionários, entrevistas em grupo focal e observações. Os sujeitos da pesquisa foram quatorze alunos, que, em 2008, cursaram a disciplina de Prática de Ensino e Estágio Supervisionado II do curso de Licenciatura em Matemática de uma universidade pública do interior do estado de São Paulo. Pode-se constatar que o estímulo e o desenvolvimento de uma postura reflexiva, questionadora e investigativa, promovidos pela Prática, como componente curricular, geram, não só um complexo processo de socialização com o ambiente docente, mas também conflitos, rupturas, incertezas, escolhas e “batalhas” internas, o que propicia que os licenciandos confirmem ou vetem a escolha pela docência. Esse é um caminho que, com certeza, produz uma contribuição de extrema relevância para a constituição da Identidade Profissional Docente dos futuros professores. Palavras-Chave: Identidade Profissional Docente, Prática como componente curricular, Prática de Ensino e Estágio Supervisionado.

Texto completo: HTML