Prática como Componente Curricular: entendimentos, possibilidades e perspectivas
About math teaching practice in distance education: understanding, possibilities and prospects

Marília Zabel, Ana Paula dos Santos Malheiros

Resumo


Este artigo tem como objetivo discutir os conceitos de Prática como Componente Curricular (PCC) existentes na literatura e problematiza-los, buscando fortalecer tais questões no âmbito da Educação, em particular da Educação Matemática. Para isso, contextualizamos a ideia da PCC a partir de documentos legais já instituídos referentes à formação inicial de professores e apresentamos um panorama das pesquisas e concepções de PCC presentes na literatura. Nesse movimento, observamos as dificuldades e distorções na implementação da carga horária de PCC nos cursos de Licenciatura em Matemática. Além disso, refletimos sobre uma disciplina específica com carga horária de PCC, que tem como tema principal as tecnologias digitais. Defendemos que a PCC esteja efetivamente presente nos cursos, buscando cada vez mais superar a dicotomia entre conhecimento específico e conhecimento pedagógico e enfatizamos que apenas políticas públicas não bastam para que mudanças efetivas aconteçam no contexto da formação inicial de professores. 

 

This paper aims to discuss the concepts of Practice as a Curricular Component (PCC) in the literature, seeking to consolidate this questions in the field of Education, in particular Mathematics Education. For this, we contextualize the idea of the PCC as from legal documents regarding the initial formation of teachers and we show an overview of the research and conceptions of PCC present in the literature. In this movement, we observed the difficulties and distortions in the implementation of hours of PCC in degree courses in mathematics. In addition, we reflect on a specific discipline with hours of PCC, that has as its main topic digital technologies.  We advocate that the PCC be effectively present in the graduation, seeking to overcome the dichotomy between specific knowledge and pedagogical knowledge. We emphasize that only public policies are not enough for effective changes to occur in the context of initial formation teacher.


Palavras-chave


Educação Matemática; Licenciatura em Matemática; Diretrizes Curriculares Nacionais; Formação Inicial de Professores.

Texto completo:

PDF

Referências


BARRETO, E. S. S. Sobre as implicações nas políticas docentes da formação de professores com base na escola. . In.: SPAZZIANI, M. L (Org.) Profissão de Professor: cenários, tensões e perspectivas. São Paulo: Editora UNESP, 2016.

BRASIL. Conselho Nacional de Educação. Conselho Pleno. Resolução CNE/CP Nº 02, de 09 de junho de 2015. Diretrizes Curriculares Nacionais para a Formação Inicial e Continuada dos Profissionais do Magistério da Educação Básica (2015).

BRASIL. Conselho Nacional de Educação. Conselho Pleno. Resolução CNE/CP Nº 02, de 19 de fevereiro de 2002. Institui a duração e a carga horária dos cursos de licenciatura, de

graduação plena, de formação de professores da Educação Básica em nível superior (2002).

BRASIL. Conselho Nacional de Educação. Conselho Pleno. Parecer CNE/CP Nº 09/2001, de 08 de maio de 2001. Diretrizes Curriculares Nacionais para a Formação de Professores da Educação Básica, em Nível Superior, Curso de Licenciatura, de Graduação Plena (2001).

BRASIL. Conselho Nacional de Educação. Conselho Pleno. Parecer CNE/CP Nº 15/2005, de 02 de fevereiro de 2005. Solicitação de esclarecimento sobre as Resoluções CNE/CP nºs 1/2002, que institui Diretrizes Curriculares Nacionais para a Formação de Professores da Educação Básica, em nível superior, curso de licenciatura, de graduação plena, e 2/2002, que institui a duração e a carga horária dos cursos de licenciatura, de graduação plena, de Formação de Professores da Educação Básica, em nível superior.

BRASIL. Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Lei n. 9394, de 20 dez. 1996.

FIGUEIREDO, S. A.; COSTA, N. M. Prática como Componente Curricular: uma investigação na Licenciatura em Matemática. In.: LOPES, C. E.; TRALDI, A.; FERREIRA, A. C. (Orgs.) A Formação do Professor que Ensina Matemática: aprendizagem docente e políticas públicas. Campinas: Mercado das Letras, 2015.

GATTI, B. A. Formação de professores: compreender e revolucionar. In: GATTI, B, A [et. al.] Por uma revolução no campo da formação de professores. 1 ed. São Paulo: Editora UNESP, 2015.

GATTI, B. A.; NUNES, M. M. R. Estudo dos cursos de Licenciatura no Brasil: Letras, Matemática e Ciências Biológicas. Fundação Victor Civita, São Paulo, SP, 2008.

GATTI, B. A. Formação de Professores: perspectivas. In.: SPAZZIANI, M. L (Org.) Profissão de Professor: cenários, tensões e perspectivas. São Paulo: Editora UNESP, 2016.

MARCATTO, F. S. F. A prática como componente curricular em projetos pedagógicos de cursos de licenciatura em matemática. 2012. Tese (Doutorado em Educação Matemática) – Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho”, Rio Claro, SP, 2012.

MARCELO, C. G. Formação de professores: para uma mudança educativa. Tradução de Isabel Narciso. Porto/PT: Porto Editora. 1999.

NOGUEIRA, K. F. P. A Prática Como Componente Curricular nos Cursos de Licenciatura em Matemática: Entendimentos e alternativas para sua incorporação e desenvolvimento. 2012. Dissertação (Mestrado em Educação Matemática) – Universidade Federal de Mato Grosso do Sul, Campo Grande, MS, 2012.

PEREIRA, P. S.; NOGUEIRA, K. F. P. Pesquisas que versam sobre a Prática como Componente Curricular na Educação Matemática (2001 – 2012). In.: LOPES, C. E.; TRALDI, A.; FERREIRA, A. C. (Orgs.) A Formação do Professor que Ensina Matemática: aprendizagem docente e políticas públicas. Campinas: Mercado das Letras, 2015.

SÃO PAULO (ESTADO). Deliberação CEE 154/2017. Diário Oficial - Poder Executivo - Seção I, publicado em 07 de junho de 2017 páginas 38 e 39. 2017.

SILVA, D. S. A constituição docente em matemática à distância: entre saberes, experiências e narrativas. 2010. 278 f. Tese (Doutorado) – Universidade Federal de Minas Gerais. Belo Horizonte, MG, 2010.

SILVA, M. S. P. da. A Formação de Professores na Universidade Federal de Uberlândia: trilhas e tramas. In: Formação de professores para a educação básica: dez anos da LDB. Org.: João Valdir Alves de Souza. Belo Horizonte: Autêntica, 2007.

SOUZA, J. V. A. de. Licenciaturas na UFMG: desafios, possibilidades e limites. In: Formação de professores para a educação básica: dez anos da LDB. Org.: João Valdir Alves de Souza. Belo Horizonte: Autêntica, 2007.

SOUZA NETO, S.; SILVA, V. P. Prática como Componente Curricular: questões e reflexões. Revista Diálogo Educacional, vol. 14, n° 43, 2014, p. 889 – 909.

TARDIF, M. Saberes docentes e formação profissional. 15. ed. Petrópolis-RJ: Vozes, 2013.

ZABEL, M. Luz, Câmera, Flashs: Uma compreensão sobre a disciplina de Prática de Ensino de Matemática a Distância. 2014. 153 f. Dissertação (Mestrado) – Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho”, Rio Claro, SP, 2014.




DOI: http://dx.doi.org/10.23925/1983-3156.2018v20i1p128-146

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM