A linguagem de descrição: uma possibilidade de fazer pesquisas no campo da educação matemática
The language of description: a possibility of doing research in the field of mathematical education

Ana Virginia Almeida Luna, Flávia Cristina de Macêdo Santana, Roberta D’Angela Menduni Bortoloti

Resumo


Este artigo tem como objetivo analisar textos de pesquisas com a trajetória metodológica no campo da educação matemática, desenvolvidas por meio da linguagem de descrição de Basil Bernstein, na Bahia. A trajetória metodológica adotada envolveu uma abordagem qualitativa, por meio da análise documental. Como resultados, os textos analisados sugerem que a pesquisa com o uso do modelo metodológico da linguagem de descrição possibilita movimentos cíclicos, a saber: partindo da teoria para iluminar a empiria, podendo produzir as categorias a priori; legitimando que os dados empíricos podem ampliar o campo teórico, favorecendo a produção de categorias analíticas, levantadas pela teoria e, retroalimentando campo teórico e empírico, a empiria e a teoria dialogam de tal forma que um campo ampara o outro, ainda que possa haver diálogo com o próprio campo, subsidiado pela teoria.


This paper aims to analyze research texts from the methodological trajectory in the field of Mathematical Education which has been developed through the description language of Basil Bernstein in Bahia. The methodological design adopted has involved a qualitative approach, through documentary analysis. As for the results, the analyzed texts suggest that the research using the methodological model of the description language allows a cyclical movement: starting from the theory to shed light on the empiria, thus, it is able to produce the categories previously; legitimizing that the empirical data can broaden the theoretical field, favoring the production of analytical categories raised by the theory and theoretical feedback and empirical field, empiricism and theory dialogue in such a way that one field supports the other, although there may be dialogue with themselves, subsidized by theory.

 


Palavras-chave


Pesquisa. Metodologia. Bernstein. Linguagem de Descrição.

Texto completo:

PDF

Referências


AGUIAR, W. R. (2014). A transformação de textos de materiais curriculares educativos por professores de matemática nas práticas pedagógicas: uma abordagem sociológica com a lente teórica de Basil Bernstein. 2014. 111f. (Mestrado em Ensino, Filosofia e História das Ciências) – Universidade Federal da Bahia e Universidade Estadual de Feira de Santana, Salvador.

ALVES-MAZZOTTI, A. J. (2002). O método nas ciências sociais. In: ALVES-MAZZOTTI, A. J.; GEWAMDSZNADJDER, F. O método nas ciências naturais e sociais: pesquisa quantitativa e qualitativa. São Paulo: Pioneira, p. 147-178.

BROWN, A. (2006). Languages of description and the education of researchers. In: Knowledge, Power and Educational Reform Applying the Sociology of Basil Bernstein. Routledge, Abingdon England. p. 129-145.

CRESWELL, J. W. (2007). Qualitative inquiry and research design: Choosing among five approaches. 2nd ed. Thousand Oaks, CA: Sage.

BERNSTEIN, B. (2003). Class, codes and control: the structuring of pedagogic discourse. Londres: Routledge; Taylor & Francis Group.

BERNSTEIN, B. (2000). Pedagogy, symbolic control and identity: theoryresearch Critique. Revised Edition. London: Taylor and Francis.

BROWN, A. (2006). Languages of description and the education of reseachers. In: MOORE, R. et al (Org.). Knowledge, power and educational reform: applying the sociology of Basil Bernstein. Londres: Routledge.

DAVIS, B.; RENERT, M. (2009). Mathematisc-for-Teaching as shared dynamic participation. For the Learning of Mathematics, Publishing Association: Canada, v. 29, n. 3, p. 37-43.

DAVIS, B.; RENERT, M. (2013). Mathematics for teaching as shared, dynamic participation. For the Learning of Matematics, Publishing Association: Canada, v. 9, n. 3, p. 37-43.

DAVIS, B.; RENERT, M. (2014). The Math Teachers Know: Profund Understanding of Emergent Matematics. Routledge Taylor & Francis Group.

JUPP, V. (2006). The Sage Dictionary of Social Research Methods.Thousand Oaks: Sage.

LUNA, A. V. A. (2012). A modelagem matemática na formação continuada e a recontextualização pedagógica desse ambiente em salas de aula. 2012. 184 f. Tese (Doutorado em Ensino, Filosofia e História das Ciências). Instituto de Física, Universidade Federal da Bahia e Universidade Estadual de Feira de Santana, Salvador.

MORAIS, A. M.; NEVES, I. P. (2001). Pedagogic social contexts: studies for a sociology of learning In: MORAIS, A.; NEVES, I; DAVIES, B.; DANIELS, H. (Eds.). Towards a sociology of pedagogy: The contribution of Basil Bernstein to research. Nova Iorque: Peter Lang.

MORAIS, A. M.; NEVES, I. P. (2003). Processos de intervenção e análise em contextos pedagógicos. Educação, Sociedade e Culturas. Lisboa, nº 19 p. 49-87.

MORAIS, A. M.; NEVES, I. P. (2007). Basil Bernstein as an inspiration for educational research: Specific methodological approaches. In: SINGH, P.; SADOVNIK A.; SEMEL, S. (Eds.), Toolkits, translation devices, conceptual accounts: Essays on Basil Bersntein’s sociology of knowledge. Nova Iorque: Peter Lang.

MOSS, G. (2001). Bernstein's languages of description: some generative principles. Int. J. Social Research Methodology, v. 4, nº. 1, p.17-19

OLIVEIRA, A. M. P. (2010). Modelagem matemática e as tensões nos discursos dos professores. 2010. 199f. Tese (Doutorado em Ensino, Filosofia e História das Ciências). Instituto de Física/Departamento de Ciências Exatas, Universidade Federal da Bahia e Universidade Estadual de Feira de Santana, Salvador.

PRADO, A. S et al. (2014). As imagens da prática pedagógica nos textos dos Materiais Curriculares Educativos sobre Modelagem Matemática. 2014. 111f. Dissertação (Mestrado em Ensino, Filosofia e História das Ciências) – Universidade Federal da Bahia e Universidade Estadual de Feira de Santana, Salvador.

SANTANA, F. C. M. (2015). O trabalho colaborativo com professores de matemática e seus conflitos entre/nos textos produzidos por seus participantes. 132f. Tese (Doutorado em Ensino, Filosofia e História das Ciências). Instituto de Física/Departamento de Ciências Exatas, Universidade Federal da Bahia e Universidade Estadual de Feira de Santana, Salvador.

SANTANA, T. S. (2011). A regulação da produção discursiva entre professor e alunos em um ambiente de modelagem matemática. 2011. 112f. Dissertação (Mestrado em Ensino, Filosofia e Histórias das Ciências) – Instituto de Física, Universidade Federal da Bahia (UFBA) e Universidade Estadual de Feira de Santana (UEFS), Salvador.

SANTANA, T. S. (2015). A recontextualização pedagógica de materiais curriculares educativos operada por futuros professores de matemática no estágio de regência. 140p. Tese (Doutorado em Ensino, Filosofia e História das Ciências). Instituto de Física/Departamento de Ciências Exatas, Universidade Federal da Bahia e Universidade Estadual de Feira de Santana, Salvador.

SANTOS, G.L.D.S.; BARBOSA, J.C. (2016). Um modelo teórico de matemática para o ensino do conceito de função a partir de um estudo com professores. Unión. nº48, dez., p. 143-167.

SILVA, M. S. (2013). A recontextualização pedagógica de Materiais Curriculares Educativos sobre Modelagem Matemática. 2013. 145f. Dissertação (Mestrado em Ensino, Filosofia e História das Ciências) – Universidade Federal da Bahia e Universidade Estadual de Feira de Santana, Salvador.

SILVA, L. A. (2013). Uma análise do texto pedagógico do planejamento do ambiente de modelagem matemática com a lente teórica de Basil Bernstein. 2013.166f. (Mestrado em Ensino, Filosofia e História das Ciências) – Universidade Federal da Bahia e Universidade Estadual de Feira de Santana, Salvador.




DOI: http://dx.doi.org/10.23925/1983-3156.2018v20i1p199-223

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM