A FORMAÇÃO FONOLÓGICA DO PROFESSOR E SUA IDENTIDADE PROFISSIONAL: INTERPRETANDO EXPERIÊNCIAS, GARIMPANDO SENTIDOS

Elizabeth Mara Elizabeth Mara POW

Resumo


Este artigo relata uma pesquisa de natureza hermenêutico-fenomenológica sobre a contribuição do estudo da Fonologia e de uma postura reflexiva na formação docente. Descreve e interpreta algumas representações de professores de inglês sobre pronúncia e falante ideais, e como estas repercutem na ação e na identidade docente. Fundamentam a investigação visões sobre a Fonologia na perspectiva do inglês como língua internacional, o paradigma do falante nativo / não-nativo, e os conceitos sobre representações sociais. O estudo envolveu 28 professores de inglês em um programa de educação continuada. Os dados indicam que lacunas na formação fonológica tendem a reforçar o paradigma do falante nativo, implicando na constituição da identidade e ação docentes. Também sugerem ser necessária uma reorientação crítico-reflexiva ao estudo da fonologia na formação docente que considere a dimensão afetiva do professor e questões sociolinguísticas de identidade.


Palavras-chave


Fonologia; formação de professor; pesquisa de natureza hermenêutico-fenomenológica

Texto completo:

PDF

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Compartilhar igual 4.0 Internacional.

Intercâmbio está indexada em:

       

Catálogo de Bibliotecas:

ISSN 2237-759X

A Intercâmbio e os textos aqui publicados estão licenciados com uma Licença Creative Commons Attribution-NoDerivatives 4.0 International. Baseado no trabalho disponível em http://revistas.pucsp.br/intercambio. Podem estar disponíveis autorizações adicionais às concedidas no âmbito desta licença em http://revistas.pucsp.br/intercambio.