As quedas e o medo de cair em pessoas idosas institucionalizadas

Patrícia Almeida, Rui Neves

Resumo


No presente estudo pretende-se caraterizar o historial de quedas e avaliar o medo de cair em idosos institucionalizados. A amostra é composta por 113 pessoas idosas institucionalizadas, 32 indivíduos do sexo masculino e 81 indivíduos do sexo feminino com uma média de idade de 82,96 ± 7,03 anos. Os dados foram recolhidos por meio de um questionário e analisados estatisticamente (estatística descritiva, testes paramétricos - Test T e Anova - não paramétricos - Teste U-Mann Whitney, e Teste de Kruskal-Wallis - e o Teste de Tukey). Os resultados apontam no sentido de que as mulheres apresentam um maior número de quedas (24,8%) e maior medo de cair (Med=55). As quedas ocorreram maioritariamente no contexto do quarto das instituições. Verificou-se que as pessoas que tiveram pelo menos uma experiência de queda apresentam maior medo de cair (Med=55) comparativamente com aquelas que não tiveram nenhum incidente de queda no mesmo período de tempo (Med=77). Os nossos resultados vêm reforçar a hipótese de a variável sexo poder ser considerada um fator de risco de queda. Os idosos que apresentam um historial de quedas parecem estar mais vulneráveis para desenvolver o medo de cair.

Palavras-chave


Idoso; Queda; Medo; Atividade física

Texto completo:

PDF


Kairós está indexada em:

Bases de dados e Repositórios de periódicos com texto completo:


Catálogo de Bibliotecas:

Bibliotecas:

Diretório de Políticas Editoriais:

Associada:

ISSN 2176-901X

A Revista Kairós e os textos aqui publicados estão licenciados com uma Licença Creative Commons Attribution-NoDerivatives 4.0 International. Baseado no trabalho disponível em http://revistas.pucsp.br/kairos. Podem estar disponíveis autorizações adicionais às concedidas no âmbito desta licença em http://revistas.pucsp.br/kairos.