A Direita Vai às Ruas: o antipetismo, a corrupção e democracia nos protesto antigoverno

Helcimara Telles

Resumo


O objetivo deste artigo será o de realizar algumas reflexões sobre as relações entre a corrupção e os recentes protestos chamados pelos grupos de oposição ao governo da presidente Dilma Rousseff, em 2015. Ele examinará o juízo sobre os partidos políticos, as instituições e os programas deste governo, e a adesão destes manifestantes à democracia, que podem oferecer indícios de uma expansão do pensamento conservador no país.  Em seguida, serão apresentadas algumas hipóteses sobre as razões que permitiram que a família ideológica de direita crescesse no país, a partir da combinação entre campanhas personalistas baseadas em valências, piora dos indicadores econômicos, a reduzida institucionalização do sistema partidário e o crescimento do antipetismo. O ensaio discutirá ainda sobre a influência das redes sociais na organização destes protestos, que apenas ecoa porque parcela da opinião pública focada nos setores médios está predisposta a assumir posições ideológicas de direita.

Palavras-chave


Democracia; Corrupção; Direita; Antipetismo; Dilma Rousseff

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Ponto-e-Vírgula está indexada em:

     

  

ISSN 1982-4807

A revista Ponto-e-Vírgula e os textos aqui publicados estão licenciados com uma Licença Creative Commons Attribution-NoDerivatives 4.0 International. Baseado no trabalho disponível em http://revistas.pucsp.br/pontoevirgula. Podem estar disponíveis autorizações adicionais às concedidas no âmbito desta licença em http://revistas.pucsp.br/pontoevirgula.