PSICOLOGIA COMO PROFISSÃO DE SAÚDE: RELATO DE UM PROCESSO DE (RE)FORMULAÇÃO CURRICULAR

Mônica Ramos Daltro, Milena Pereira Pond

Resumo


Este artigo descreve o processo dialógico de constituição de uma reformulação curricular do Curso de Psicologia da Escola Baiana de Medicina e Saúde Pública. A fundamentação teórica concebe o currículo como campo político de produção de subjetividades, a Psicologia como uma profissão de saúde e o conceito de competência definido pela cubana González Maura (2000) que envolve a dimensão específica do fazer em Psicologia e a dimensão pessoal, atitudinal e motivacional. Trata-se de um relato de experiência que apresenta uma interpretação das DCN, destacando a subjetividade como central na formação em Psicologia, especialmente para o desenvolvimento da autonomia, capacidade de crítica e compromisso com valores sociais. O resultado do processo foi um modelo de currículo organizado em Módulos, a partir de Eixos Temáticos, com o uso de Metodologias Ativas e Práticas Interdisciplinares estruturados como sistemas abertos, de forma a contemplar diferenças e diversidades em permanente movimento de construção e desconstrução. Esses elementos estão sustentados por uma cultura de trabalho docente coletiva, pelo protagonismo discente e docente, pela comunicação com o mercado de trabalho e pela experiência do conjunto de subjetividades individuais que permitiram a emergência de um discurso formativo carregado de poder transformador que coloca a formação acadêmica em Psicologia articulada ao desenvolvimento de sujeitos, ultrapassando a perspectiva de construção de uma identidade ocupacional tecnicista.

Palavras-chave


formação em Psicologia; currículo por competência; profissão de saúde

Texto completo:

PDF

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM

Apontamentos

  • Não há apontamentos.