Violência virtual entre alunos do ensino fundamental de diferentes estados do Brasil

Ana Carina Stelko Pereira, Rayssa Modesto de Souza Brito, Danielle Gomes Batista, Raianny de Sousa Gondim, Vanessa Mendes Bezerra

Resumo


A tecnologia tornou a comunicação mais rápida, porém tornou possível a ocorrência de violência por meio virtual. Este estudo investigou ocorrências de cyberbullying em escolas de diferentes estados brasileiros. Para tanto, foi utilizada a Escala de Violência Escolar, a qual avalia a ocorrência e a gravidade de violência escolar e bullying vivenciada e praticada por alunos. Esta foi respondida por 1534 alunos de seis escolas localizadas nos estados de São Paulo, Ceará, Paraná e Minas Gerais. Notou-se que cerca de 37% dos alunos estavam envolvidos em situações de cyberbullying, dentre eles 23% seriam exclusivamente vítimas, 3% autores e 11% seriam vítimas e autores. Adicionalmente, notou-se haver associação significativa entre ser menina e sofrer ameaças psicológicas (p = 0,041) e receber mensagens ofensivas (p = 0,036). Ser menino associou-se com ser ridicularizado em vídeos (p = 0,051). Verificou-se também que a faixa etária que mais se envolveu em situações de violência virtual foi a de alunos com 15 anos ou mais. Estes resultados são relevantes, pois apontam a necessidade de prevenção ao problema. Seria importante que estudos futuros ampliassem a quantidade e diversidade dos participantes, de modo a se conhecer a prevalência do fenômeno nacionalmente.

Palavras-chave


tecnologia, violência, escola, bullying, cyberbullying

Texto completo:

PDF

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM

Apontamentos

  • Não há apontamentos.