A boa velhice entre os participantes de um programa de educação permanente

Tiago Nascimento Ordonez, Meire Cachioni

Resumo


O presente estudo teve como objetivo analisar as emissões referentes à boa velhice dos 140 inscritos na Universidade Aberta à Terceira Idade da Escola de Artes, Ciências e Humanidades da Universidade de São Paulo. Utilizou-se para a análise da referida questão a análise de conteúdo e o método de Ward. A análise de conteúdo das emissões indicou a existência de 10 categorias que se associavam a uma boa velhice: manter uma boa saúde (79,29%), cultivar bons relacionamentos (47,14%), manter o equilíbrio emocional (46,43%), ser ativo e produtivo (35,00%), ter lazer (32,86%), ter boas condições financeiras (20,71%), sendo autônomo e independente (20,00%), vivenciando a espiritualidade (12,86%), adquirindo novos conhecimentos (12,86%) e ajudando o próximo (12,86%). Através do método de Ward, quatro grupos distintos foram identificados. Por fim, sugerem-se ações que melhorem a qualidade de vida destes participantes, levando-se em conta seus anseios de boa velhice.

Palavras-chave


Envelhecimento; Idoso; Qualidade de Vida

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.23925/2176-901X.2012v15iEspecial14p181-194

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM


Kairós está indexada em:

Bases de dados e Repositórios de periódicos com texto completo:


Catálogo de Bibliotecas:

Bibliotecas:

Diretório de Políticas Editoriais:

Associada:

ISSN 2176-901X

A Revista Kairós e os textos aqui publicados estão licenciados com uma Licença Creative Commons Attribution-NoDerivatives 4.0 International. Baseado no trabalho disponível em http://revistas.pucsp.br/kairos. Podem estar disponíveis autorizações adicionais às concedidas no âmbito desta licença em http://revistas.pucsp.br/kairos.