Tempo e identidade na obra de Jorge Luis Borges

Gerson Tenório dos Santos

Resumo


Nosso objetivo nesse trabalho é mostrar que a noção de uma identidade ilusória na obra de Borges deriva em grande parte de sua concepção de um tempo idealista e simultâneo, como o advogado, entre outros, por filósofos como Platão, Berkeley, Hume, Nietzsche e Schopenhauer e por vários escritores como Poe, Keats e Coleridge. A narrativa borgeana ao desconstruir nossa concepção objetiva de tempo coloca sérios problemas para a idéia de identidade tal qual herdamos de Aristóteles e Newton.

Palavras-chave

Tempo; Identidade; Desconstrução

Abstract

Our aim in this work is to show that the Borgean notion of an illusory identity is greatly founded on his conception of an idealistic and simultaneous time, as that defended, among others, by philosophers as Plato, Berkeley, Hume, Nietzsche, and Schopenhauer and by several writers as Poe, Keats, and Coleridge. The Borgean narrative when deconstructing our objective conceptions of time raises serious problems to the idea of identity we inherited from Aristotle and Newton.

Keywords

Time; Identity; Deconstruction.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.