Noções do imaginário: perspectivas de Bachelard, Durand, Maffesoli e Corbin

Sílvio Antonio Luiz Anaz, Grazyella Aguiar, Lúcia Lemos, Norma Freire, Edwaldo Costa

Resumo


O objetivo deste artigo é abordar algumas das proposições teóricas sobre o imaginário, apresentado com diferentes sentidos e com novas dimensões - como fator de equilíbrio biopsicossocial, como patrimônio de um grupo ou, até mesmo, propondo uma nova denominação. No primeiro segmento é de Gaston Bachelard a noção de imaginário como uma estrutura essencial na qual se constituem todos os processamentos do pensamento humano. A seguir, apresenta-se a perspectiva de Gilbert Durand, que o considera como um vasto campo, com imagens que podem se desenrolar - como a um novelo - e fornecer outras imagens. Como contraponto, a contribuição de Michel Maffesoli, que admite a existência de dois tipos de imaginário - o individual e o coletivo. Finaliza-se com a abordagem de Corbin, que propõe novas denominações como mundus imaginalis ou imaginal, diferente da acepção consagrada no senso comum.


Texto completo:

PDF


Revista Nexi © ISSN 2237-8383.