CONTRA PROPAGANDA: TECNOLOGIA E PERSUASÃO NA ÁGORA MIDIÁTICA

Regiane Miranda Nakagawa, Maria Conceição Globovante

Resumo


Quando a tecnologia digital amplia o acesso da sociedade civil aos dispositivos midiáticos e esta passa a expressar suas opiniões no espaço público, acionando o discurso persuasivo, torna-se urgente (e este é o objetivo deste paper) analisar a Publicidade e a Propaganda para além de sua relação com a venda de produtos ou serviços. Via mídias on-line, os cidadãos passam a criticar empresas que não cumprem o que prometem em seus anúncios publicitários e publicizam sistemas de representação contrários aos das forças hegemônicas do mercado. Ao nomear essas manifestações de “contra propaganda”, este paper aborda a potência comunicativa e os limites de tais relações entre a publicidade e as novas tecnologias, analisando três cases do Brasil: United Airlines (marca global do segmento de transporte aéreo), Dafra (marca brasileira do segmento automotivo, produto motocicleta), e Greenpeace (marca global, ONG ambientalista).

Palavras-chave


Comunicação Propaganda; Mídia; Meios de Comunicação.

Texto completo:

PDF

Referências


BRYAN, Guilherme (2003). “Videoclipe Brasileiro - História, características e

internacionalização”. Dissertação de Mestrado. São Paulo: ECA/USP.

COMPARATO, Doc. Da criação ao roteiro. Rio de Janeiro: Rocco, 1995.

HAVELOCK, Eric A musa aprende a escrever. Reflexões sobre a oralidade e a literacia da Antiguidade ao presente. Lisboa: Gradiva, 1996c.

HUTCHEON, Linda (1985). Uma Teoria da Paródia. Rio de Janeiro: Edições 70.

LOTMAN, Iuri. LOTMAN, Iuri. La Semiosfera I. Semiótica de la cultura e del texto. Madrid: Ediciones Frónesis Cátedra Universitat de Valencia, 1996.

McLUHAN, Marshall. Contraexplosão. Buenos Aires: Paidos, 1969.

McLUHAN, Marshall; McLUHAN, Eric. Laws of media. The new science. Toronto, University of Toronto Press, 2007.

RECUERO, Raquel. A conversação em rede. Porto Alegre: Sulina, 2009.

VERNANT, Jean-Pierre. As origens do pensamento grego. Trad. de Ísis Borges B. da Fonseca. Rio de Janeiro: Difel, 2010.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.