Notícias

Religião e Ciência: Tensões, Sincretismos e Diálogos 

 

Leila Marrach Basto de Albuquerque - CEDEM/UNESP

Frederik Moreira dos Santos - CETENS/UFRB

 

As Ciências e as Religiões são dois grandes sistemas de organização do pensamento no ocidente moderno, responsáveis por conferir sentido às experiências humanas, em disputa pela hegemonia das definições de verdade desde o Renascimento. Ao longo da história, o jogo de forças entre ambas e suas relações com a cultura e a sociedade apresentaram diferentes configurações que se expressam por meio de racionalidades e valores próprios ou compartilhados. O sincretismo entre estes dois sistemas de crença tem se proliferado trazendo algumas soluções e novas tensões sociais. Os processos de secularização têm sido desafiados pelo reencantamento religioso da contemporaneidade trazendo novos desafios e significações daquilo que é considerado sagrado e daquilo que é considerado secular. Abordagens históricas, filosóficas, antropológicas e sociais são necessárias para se buscar compreender este processo rico, dinâmico e complexo. O número 35 da Revista NURES, previsto para dezembro de 2016, espera receber artigos que abordem a temática Religião e Ciência: tensões, sincretismos e diálogos, acolhendo estudos teóricos e/ou empíricos dos mais variados recortes epistemológicos e em diferentes contextos culturais.

Regras para publicação: http://revistas.pucsp.br/index.php/nures/about/submissions#onlineSubmissions

Enviar para: leilamarrach@uol.com.br até novembro/2016

Chamadas para novas publicações

 

Com o objetivo de atualização da revista NURES 2017 dos números 35 – Pluralismo Religioso e Família; 36 - Os caminhos da transcendência nas experiências religiosas e 37 – Religião e imigração, solicitamos enviar os artigos para submissão até o dia 30/11/2018. Para conhecer as normas, entrar no portal pucsp.br link revistas e em seguida link normas para ter orientação sobre os parâmetros para publicar.

 

EMENTAS

PLURALISMO RELIGIOSO E FAMÍLIA

Profa. Dra. Eliane Hojaij Gouveia e Ms. Giji Pichappillil Mathew

A chamada para artigos se concentra no campo de Pluralismo Religioso e Família. As lógicas argumentativas se dão nas relações líquidas entre os modos de organização global dos contextos de vida, discursos e práticas sociais, culturais e políticas e os arranjos locais e cotidianos produzidos por uma cultura consumista e individualista, num contexto urbano que afetam as novas configurações das relações e tensões na família, a partir do pluralismo religioso. Será que é uma forma de hibridação das relações sociais e antropológicas na esfera familiar em função de ajustamento, numa sociedade complexa em constante mudança?  A edição da Revista NURES aborda o tema que examina as novas configurações e contornos antropológicos que afetam a família, gerados pela vivência do pluralismo religioso dos membros no contexto urbano na pós-modernidade. Assim, configura e reconfigura os novos moldes das relações individuais e coletivas das expressões e manifestações dos significados e significantes num contexto complexo. Nesse recorte, é importante levantar as relações, tensões e acomodações, que se desenrolam na esfera familiar com a vivência do pluralismo religioso. A família se torna um campo de disputas e con-vivências de diferentes crenças, ideologias, sejam elas progressistas ou conservadoras, encarnadas nos indivíduos e nos grupos, e transformada em um território cobiçado de captação dos indivíduos por diferentes forças, tais como; os meios de comunicação, os partidos políticos, os líderes religiosos, o mercado, o Estado, etc.

 
Publicado: 2018-10-05
 

Os caminhos da transcendência nas experiências religiosas

 

Profa. Dra. Leila Marrach Basto de Albuquerque (UNESP)

Profa. Dra. Paula Rondinelli (UFABC)

 

Seria a necessidade humana de transcendência um pressuposto antropológico? O número 36 da Revista NURES dirige esta indagação às manifestações do sagrado. As experiências de evasão nas diferentes expressões dos estados místicos, dos êxtases, da comunhão imediata e dos transes são exteriorizações de disposições interiores de forte impacto psicológico e fisiológico. E os caminhos são variados, como dança, recitações, música, sons específicos, meditações, substâncias psicoativas, jejuns, exaustão etc., que se fazem dentro de uma ordem, seguindo certos rituais ou procedimentos cuidadosos. Algumas religiões são mais extáticas, outras menos, de acordo com disposições culturais e períodos históricos, lembrando que a valorização de processos racionais na modernidade afeta ou desloca as predisposições para a transcendência.

 
Publicado: 2018-10-05
 
1 a 2 de 2 itens