Religiões afro-brasileiras. Da degenerescência à herança nacional: lendo Nina Rodrigues

Rosenilton Silva de Oliveira

Resumo


Nina Rodrigues pertenceu a um grupo de intelectuais brasileiros que estava disposto a apresentar "soluções" para o "problema" da miscigenação no Brasil no final do século XIX. Com base em teorias evolucionistas, assumiu o aspecto poligênico das raças humanas e apresentou a mestiçagem como degeneração da espécie. Segundo ele, as religiões afro-brasileiras eram exemplos irrefutáveis da degeneração e a legislação penal deveria ser alterada a fim de acompanhar a realidade social pós-escravidão.

Ele realizou muitas pesquisas com a população negra e mestiça na Bahia e escreveu a primeira etnografia sobre as casas de candomblé na cidade de Salvador. Este artigo focaliza os dois principais livros de Nina Rodrigues: O Animismo fetichista dos negros baianos e Mestiçagem, degenerescência e crime. Defendo que, atualmente, os mesmos exemplos usados por Nina Rodrigues para provar a inferioridade racial dos negros, em outras palavras, as religiões afro-brasileiras, têm sido invocados como uma estratégia eficaz para a preservação da identidade dessa população.


Palavras-chave


religiões afro-brasileiras, Nina Rodrigues, mestiçagem.

Texto completo:

PDF

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM

Apontamentos

  • Não há apontamentos.