Algumas considerações sobre o Estado e a barbárie moderna

Marina Costin Fuser

Resumo


O presente trabalho lança luz sobre algumas interfaces da barbárie perpetrada pelo Estado em sua acepção moderna, a partir do genocídio armênio pelo império Turco-Otomano e seus desdobramentos no Brasil após o golpe de 1964. A partir dos apontamentos delineados por autores como Hannah Arendt, Tzvetan Todorov e Christophe Dejours, elaboro uma reflexão sobre o emprego da violência e da tortura pelo Estado, em momentos em que a exceção passa a ser, em si mesma, uma regra.

Texto completo:

PDF

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Ponto-e-Vírgula está indexada em:

     

  

ISSN 1982-4807

A revista Ponto-e-Vírgula e os textos aqui publicados estão licenciados com uma Licença Creative Commons Attribution-NoDerivatives 4.0 International. Baseado no trabalho disponível em http://revistas.pucsp.br/pontoevirgula. Podem estar disponíveis autorizações adicionais às concedidas no âmbito desta licença em http://revistas.pucsp.br/pontoevirgula.