A nova cartografia mundial: as “muralhas nacionais” frente ao “capital sem pátria” e aos “cidadãos do mundo”

Enzo Mayer Tessarolo

Resumo


O artigo analisa os impactos que os processos de globalização exercem sobre a configuração do sistema internacional. Apontam-se inicialmente os vínculos do Estado Nacional com as categorias de soberania e de nação, que demarcaram as fronteiras estatais (as “muralhas nacionais”). Depois, examinam-se as forças sociopolíticas (representadas pelos “cidadãos do mundo” e pelas Organizações Internacionais), e as forças econômicas (o “capital sem pátria”) que ultrapassam e remodelam as fronteiras dos Estados para, no final, analisar os efeitos desses processos globalizantes sobre a configuração estatal e, consequentemente, sobre o sistema internacional. Argumenta-se que os espaços sociais, antes limitados por fortalezas feudais e muros nacionais, passam agora por ampla reconversão, mas que não obstante a ascensão do fenômeno da desterritorialização e da mitigação da soberania estatal, os Estados ainda devem persistir no cenário político internacional no longo prazo.

Palavras-chave


globalização; neoliberalismo; Estado; sociedade civil global; sistema internacional

Texto completo:

PDF

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Ponto-e-Vírgula está indexada em:

     

  

ISSN 1982-4807

A revista Ponto-e-Vírgula e os textos aqui publicados estão licenciados com uma Licença Creative Commons Attribution-NoDerivatives 4.0 International. Baseado no trabalho disponível em http://revistas.pucsp.br/pontoevirgula. Podem estar disponíveis autorizações adicionais às concedidas no âmbito desta licença em http://revistas.pucsp.br/pontoevirgula.