Redes transnacionais entre profissionais “expatriados” ou expats

Claudelir Corrêa Clemente

Resumo


O presente artigo analisa os vínculos sociais constituídos porprofissionais transnacionais ou expatriados/ expats como sãochamados pelo mercado e baseados no Brasil. Por meio dosdeslocamentos geográficos destes profissionais, analisar-se-ão oslaços de amizade constituídos ao longo da mobilidade; aconstituição de um espaço social transnacional no qual semovimentam outros grupos e indivíduos; a construção de vínculossociais transnacionais entre aqueles que se deslocam; e asinfluências da empresa capitalista na mobilidade.Ao longo deste trajeto ditado pelo capital, contudo, vão constituindoformas de sociabilidade com aqueles que cruzam seu itinerário,experimentam e fortalecem relações de amizade nas quais sebeneficiam com a generosidade, a solidariedade e outros elementosque o território da amizade produz. Não são um grupo, mas vivemessas experiências de conteúdo social e por isso dão à mobilidadeuma dimensão social.Os dados e a análise aqui apresentados foram sistematizados nodecorrer do processo de meu doutoramento, sob orientação daprofessora Doutora Márcia Regina da Costa e revelam alguns dostemas de interesse da saudosa antropóloga: redes transnacionais,sociabilidade e território.

Texto completo:

PDF

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Ponto-e-Vírgula está indexada em:

     

  

ISSN 1982-4807

A revista Ponto-e-Vírgula e os textos aqui publicados estão licenciados com uma Licença Creative Commons Attribution-NoDerivatives 4.0 International. Baseado no trabalho disponível em http://revistas.pucsp.br/pontoevirgula. Podem estar disponíveis autorizações adicionais às concedidas no âmbito desta licença em http://revistas.pucsp.br/pontoevirgula.