Quilombolas crianças de São Raimundo de Taperu: infância diferenciada à luz dos Direitos Humanos

Carine Costa Alves

Resumo


O presente artigo tem por objetivo analisar as condições socioculturais de produção da infância a partir do contexto da comunidade quilombola Taperu, localizada no município de Porto de Moz – Pará, as margens do rio Xingu, trazendo à tona a compreensão das próprias crianças sobre a vida em comunidade e de que forma podemos fazer dialogar essas infâncias diferenciadas com a legalidade dos direitos das crianças. Por meio da pesquisa etnográfica, busca-se identificar os avanços e retrocessos na compreensão da diversidade através da compreensão das interconexões, contradições e conflitos existentes nas fronteiras culturais que perpassam os “lugares” da infância quilombola, nas quais as quilombolas crianças realizam formas de agenciamento, de aprendizagem e de socialização para a produção de modos de vida específicos, sobretudo quanto à relação educação-trabalho e à “reprodução interpretativa” dos modos de vida da comunidade.

Palavras-chave


infância quilombola; direitos humanos; conflitos; trabalho infantil; direitos quilombolas

Texto completo:

PDF

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Ponto-e-Vírgula está indexada em:

     

  

ISSN 1982-4807

A revista Ponto-e-Vírgula e os textos aqui publicados estão licenciados com uma Licença Creative Commons Attribution-NoDerivatives 4.0 International. Baseado no trabalho disponível em http://revistas.pucsp.br/pontoevirgula. Podem estar disponíveis autorizações adicionais às concedidas no âmbito desta licença em http://revistas.pucsp.br/pontoevirgula.