Ressoam os tambores do nacionalismo

Lúcio Flávio Rodrigues de Almeida

Resumo


Neste artigo, retomamos a hipótese de que a ideologia nacional é uma dimensão estrutural do Estado burguês e, desta forma, do modo de produção capitalista. Em decorrência, as crises desta ideologia se manifestam sob a forma de nacionalismos. No plano teórico, a principal inspiração é a obra de Nicos Poulantzas, a partir da qual procuramos desenvolver conceitos por conta e risco. A referenciação empírica, longe ser exaustiva, e sistemática, visa despertar a atenção para a enorme diversidade de nacionalismos neste início de século, suas relações com a atual fase do imperialismo e a importância que muitos deles adquirem para o instável equilíbrio de poder no plano internacional. A grande contribuição de Nicos Poulantzas para o desenvolvimento da teoria política marxista, mais particularmente do Estado burguês, exerceu pouca influência direta sobre os extraordinários avanços realizados por intelectuais marxistas ou referenciados pelo marxismo, durante as duas últimas décadas do século XX, no estudo de nações e nacionalismos. O principal objetivo desta comunicação é destacar a importância das abordagens poulantzanas para a análise de questões nacionais que eclodem no presente século.

Palavras-chave


Estado burguês; Nacionalismo; Imperialismo; Poder; Ideologia

Texto completo:

PDF

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Ponto-e-Vírgula está indexada em:

     

  

ISSN 1982-4807

A revista Ponto-e-Vírgula e os textos aqui publicados estão licenciados com uma Licença Creative Commons Attribution-NoDerivatives 4.0 International. Baseado no trabalho disponível em http://revistas.pucsp.br/pontoevirgula. Podem estar disponíveis autorizações adicionais às concedidas no âmbito desta licença em http://revistas.pucsp.br/pontoevirgula.