Lenin e o “taylorismo soviético”: uma abordagem crítica

Angela Lazagna

Resumo


O artigo analisa o lugar privilegiado que o Sistema Taylor ocupa no pensamento de Vladimir I. Lenin. O movimento taylorista, identificado com o movimento de organização do trabalho, pode ser definido como um conjunto de técnicas que, aplicadas ao processo produtivo, busca reduzir o trabalho a um ciclo de gestos repetitivos através da aceleração do seu ritmo, a fim de suprimir os “poros” da jornada de trabalho (“poros” que traduzem as características antagônicas do processo de produção capitalista). Lenin, ao atribuir ao taylorismo um papel contraditório (aspectos “positivos” e “negativos”) no aumento da produtividade, defende a sua aplicabilidade à Rússia pós-revolucionária, através de um processo de adaptação sob o controle da ditadura do proletariado.

Palavras-chave


Taylorismo; processo produtivo; Lênin

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.23925/1982-4807.2017i21p36-53

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Sem derivações 4.0 Internacional.

Ponto-e-Vírgula está indexada em:

     

  

ISSN 1982-4807

A revista Ponto-e-Vírgula e os textos aqui publicados estão licenciados com uma Licença Creative Commons Attribution-NoDerivatives 4.0 International. Baseado no trabalho disponível em http://revistas.pucsp.br/pontoevirgula. Podem estar disponíveis autorizações adicionais às concedidas no âmbito desta licença em http://revistas.pucsp.br/pontoevirgula.