v. 18, n. 3 (2018)

Religião, memória e identidade na Europa

Num momento em que as questões religiosas ocupam a agenda pública de muito modos, torna-se necessário identificar o papel da memória religiosa nos processos de transmissão cultural e nas dinâmicas de construção das identidades. É que a memória não se reduz a uma raiz única. Trata-se sempre de uma memória de memórias, marcada, no contexto das modernidades múltiplas, pelos trânsitos do religioso transnacional e global. Mas sublinhe-se, também, que a memória não é um fóssil, pois dialoga com o esquecimento e com a invenção. Privilegiam-se as seguintes linhas de pesquisa: Comunidade e identidade, conflito e negociação.

Sumário

Apresentação

Alfredo Teixeira, Peter Hanenberg
PDF
7-8

Seção Temática

Teresa Bartolomei
PDF
9-29
Peter Hanenberg
31-40
Tarcisio Amorim Carvalho
41-60
Max Ruben Ramos
PDF
61-74
Márcia Dias Sousa
PDF
75-100
José Carlos Lopes de Miranda
PDF
101-119
José Carlos de Miranda, Sérgio Tenreiro de Magalhães, Sérgio F. Miranda João
PDF
121-139

Intercâmbio

Cleusa Caldeira
PDF
141-159
Catarina Nogueira Pereira, Diogo Guedes Vidal
PDF
161-171
Omar Lucas Perrout Fortes de Sales, Clóvis Ecco
PDF
173-185
Selson Garutti, Rita de Cássia da Silva Oliveira
PDF
187-215

Subsídios

Cornelis Tiele
PDF
217-228
Eduardo R. Cruz, Scott Randall Paine, Silas Guerriero
PDF
229-239

Fórum

Fábio L. Stern
PDF
241-245
Elis Facchini
PDF
247-250

Resenhas

Ênio José da Costa Brito
PDF
251-257
Matheus Oliva da Costa
PDF
259-262
Antonio Genivaldo C. de Oliveira
PDF
263-265