O NOME-DO-PAI NO FUNDAMENTALISMO RELIGIOSO: UMA REFLEXÃO PSICANALÍTICA

Paulo Antonio de Campos Beer, Luiz Felipe de C. e S. Pondé

Resumo


O fundamentalismo religioso ocupa grande parte de discussões políticas na contemporaneidade, mas parece haver uma grande dificuldade na compreensão do tema. O objetivo deste artigo é analisar o tema a partir da psicanálise lacaniana. Será trabalhada a hipótese de que embora se difira de tipos de religiosidade tradicionais, todavia não pode ser considerado um fenômeno puramente político. O tema será introduzido a partir da sociologia, para depois se abordar a produção da psicologia social; nesse ponto, a psicanálise faz uma interessante contribuição, retomando as teorias sociais considerando-se os conceitos de identificação e Nome-do-Pai, possibilitando trabalhar a hipótese central e apontar o fundamentalismo como uma maneira de se lidar com questões que são excluídas do funcionamento da lógica do consumo, num contexto em que as identificações são atravessadas por uma intensa ironização.

Palavras-chave


Fundamentalismo religioso; Psicanálise; Nome-do-Pai; Ironia

Texto completo:

PDF

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.