GLOBALIZAÇÃO E HUMANISMO INTEGRAL

Theodoro Vicente Agostinho, Antônio Márcio da Cunha Guimarães

Resumo


O presente trabalho tem como escopo demonstrar a conexão existente entre a globalização e o humanismo, essencialmente voltado para o humanismo integral, conceito estrito da palavra, onde garante a todos uma dignidade essencial sem qualquer distinção. Referido estudo enaltece a proteção a dignidade da pessoa humana tutelado na Constituição da República Federativa do Brasil de 1988, reforçando que o valor da vida humana é incomensurável, de modo que seu valor intrínseco não depende e não é acrescido por outra qualidade e, sua grandeza provém do fato unicamente de ser pessoa, digna de proteção e garantia do Estado para o progresso humanitário em conjunto com os avanços da globalização, visando à construção do bem comum.

Palavras-chave


Globalização – humanismo – humanismo Integral – dignidade da pessoa humana – progresso humanitário – construção do bem comum.

Texto completo:

PDF

Referências


BARROSO, Luís Roberto. A dignidade da pessoa humana no direito constitucional contemporâneo: a construção de um conceito jurídico à luz da jurisprudência mundial. Belo Horizonte: Fórum, 2014, p. 14.

PIOVESAN, Flávia. Direitos Humanos e o Direito Constitucional Internacional. 4ª ed. São Paulo: Max Limonad, 2000.

BENTO XVI. Caritas in veritate. 29 de junho de 2009. Disponível em: http://w2.vatican.va/content/benedict-xvi/pt/encyclicals/documents/hf_ben-xvi_enc_20090629_caritas-in-veritate.html. Acesso em: 14 de mai. 2018.

CASTRO, Carlos Roberto Siqueira. Dignidade da Pessoa Humana: o princípio dos princípios constitucionais. In SARMENTO, Daniel. GALDINO, Flávio (Org). Direitos Fundamentais: Estudos em homenagem ao professor Ricardo Lobo Torres. Rio de Janeiro: Renovar, 2006. p.135-179.

BRASIL. Constituição da República Federativa do Brasil de 1988. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/constituicao/constituicaocompilado.htm. Acesso em: 14 mai. 2018. ______. Senado Federal. Direitos Humanos Direitos Humanos atos internacionais e normas correlatas. 31 de agosto de 2013. Disponível em: http://www2.senado.leg.br/bdsf/bitstream/handle/id/508144/000992124.pdf?sequence=1. Acesso em: 14 de mai. 2018. GUIMARÃES, Antonio Marcio da Cunha; GUIMARÃES, Adriano Stagni. O papel da Igreja na sociedade, colaborando com um Estado laico. In: SANTOS, Ivanaldo; POZZOLI, Lafayette. (Org.). Direitos Humanos e Fundamentais e Doutrina Social. 1ª ed. Birigui/SP: Boreal, 2012, v. 1, p. 165-175.

HELD, David, Anthony Mcgrew (et al) (1999). Global Transformations: Politics, Economics and Culture. Cambridge, Polity Press.

JOÃO PAULO II. Sollicitudo Rei Socialis. 30 de dezembro de 1987. Disponível em: http://w2.vatican.va/content/john-paul-ii/pt/encyclicals/documents/hf_jp-ii_enc_30121987_sollicitudo-rei-socialis.html. Acesso em: 14 mai. 2018.

MARITAIN, Jacques. Humanismo Integral. Uma visão nova da ordem cristã. Editora Nacional.1941.

______. Humanismo integral. Tradução de Afranio Coutinho, Rio de Janeiro: Cia. Editora Nacional, 1945. p. 85 e seguintes.

MOYN, Samuel. Jacques Maritain, Christian New Order, and the Birth of Human Rights. Columbia University Academic Commons, 2008. p. 4

PAULO VI. Populorum progressio. 26 de março de 1967. Disponível em: http://w2.vatican.va/content/paul-vi/pt/encyclicals/documents/hf_p- vi_enc_26031967_populorum.html. Acesso em: 14 de maio. 2018.

SAYEG, Ricardo; BALERA, Wagner. O Capitalismo Humanista. Petrópolis: Editora KBR, 2011.

STIGLITZ, Joseph E.. Globalização: a Grande Desilusão. Lisboa: Terramar, 2004.

STO. TOMÁS DE AQUINO. Sto. Tomás de Aquino – vida e obra. Bauru: Nova Cultura, 1996.

VATICANO. Compêndio da Doutrina Social da Igreja. 29 de junho de 2004. Disponível em: http://www.vatican.va/roman_curia/pontifical_councils/justpeace/documents/rc_pc_justpeace_doc_20060526_compendio-dott-soc_po.html#SECRETARIA%20DE%20ESTADO. Acesso em: 14 mai. 2018.

WATERS, Malcom. Globalização. Oeiras: Celta, 1999.




DOI: https://doi.org/10.23925/2526-6284.2019next1p1-17

Apontamentos

  • Não há apontamentos.