Manejo da pneumonia em crianças de 1 a 4 anos de idade na comunidade

Danielle Veríssimo Imperador, Ana Luiza Papi Kasemodel de Araújo, Maria Laura Prigenzi

Resumo


A pneumonia ainda é uma doença de alta mortalidade em crianças na faixa etária de um a quatro anos. Intervenções efetivas para reduzir esse quadro estão disponíveis, entretanto, nem todos têm conhecimento dessas medidas. O papel do cuidador é essencial na percepção dos primeiros sinais da doença e o médico deve ter conhecimento sobre a terapêutica correta para cada situação. O presente relato expõe uma situação frequente no atendimento médico, na qual a doença tem apresentação e evolução atípica, o que reflete a variedade de microorganismos existentes e crescente resistência aos fármacos disponíveis.


Palavras-chave


pneumonia; criança; resistência a antibióticos

Texto completo:

PDF

Referências


World Health Organization; UNICEF. Pneumonia: the forgotten killer of children. Geneva: WHO; 2006.

Brasil. Ministério da Saúde. DATASUS. Sistema de informações sobre mortalidade – CID 10, 2010. Brasília: Ministério da Saúde; 2012.

World Health Organization; UNICEF. Joint Statement on Management of Pneumonia in the Community. New York: WHO; 2004.

Brasil. Ministério da Saúde. Assistência e controle das infecções respiratórias agudas. 4ª ed. Brasília: Coordenação Materno-Infantil; 1994.

Nascimento-Carvalho CM, Souza-Marques HH. Recomendação da Sociedade Brasileira de Pediatria para antibioticoterapia em crianças e adolescentes com pneumonia comunitária. Rev Panam Salud Publica. 2004;15(6):380–7.

Campbell H, Byass P, Greenwood BM. Simple clinical signs for diagnosis of acute lower respiratory infections. Lancet. 1988;2:742-3.

Benguigui Y. Infecções respiratórias agudas em crianças: fundamentos técnicos das estratégias de controle. Washington: OPAS; 1997. (HCT/AIEPI).

Sociedade Brasileira de Pneumologia e Tisiologia. Sociedade Brasileira de Pediatria. Pneumonia adquirida na comunidade na infância: diagnóstico clínico e classificação de gravidade. In: Diretrizes clínicas na saúde suplementar. Brasília: AMB; 2011.

Tsalkidis A, Gardikis S, Cassimos D, Kambouri K, Tsalkidou E, Deftereos S, et al. Acute abdomen in children due to extra abdominal causes. Pediatr Int. 2008;50:315-8.

Ferreira OS, Britto, MCA. Pneumonia aguda: tema que todos devemos estudar. J Pediatr (Rio J). 2003;79(6):478.

Neves Veras T, Sandim G, Mundim K, Petrauskas R, Cardoso G, D'Agostin J. Perfil epidemiológico de pacientes pediátricos internados com pneumonia. Scientia Méd (Porto Alegre). 2010;20(4):277-81.

Kliegman RM, Marcdante KJ, Jenson HB, Behrman RE. Pneumonia. In: Behrman RE, editor. Nelson Princípios de Pediatria. 5ª ed. Rio de Janeiro: Elsevier; 2006. p. 507-14.

Virkki R, Rikalainen H, Sverdström E, Mertsola J, Ruuskanen O. Differentiation of bacterial and viral pneumonia in children. Thorax. 2002;57:438-41.

Sarria E, Fischer GB, Lima JAB, Menna Barreto SS, Flôres JAM, Sukiennik R. Concordância no diagnóstico radiológico das infecções respiratórias agudas baixas em crianças. J Pediatr (Rio J). 2003;79(6):497-503.

Parahyba MJPC, Maia Alencar LRSM. Alguns aspectos avaliativos do hemograma em crianças com pneumonia. Rev RECCS. 2000;12:16-22.

Lowy FD. Staphylococcus aureus infections. N Engl J Med. 1998;339(8):520-32.

Michel M, Gutman L. Methicillin-resistant Staphylococcus aureus and vancomycin-resistant enterococci: therapeutic realities and possibilities. Lancet. 1997; 349:1901-6.

Snijders D, Daniels JM, de Graaff CS, Werf TS, Boersma WG. Efficacy of corticosteroids in community-acquired pneumonia: a randomized double-blinded clinical trial. Am J Respir Crit Care Med. 2010;181(9):975-82.

Confalonieri M, Urbino R, Potena A, Piattella M, Parigi P, Puccio G, et al. Hydrocortisone infusion for severe community-acquired pneumonia: a preliminary randomized study. Am J Respir Crit Care Med. 2005;171(3):242-8.

Wunderink RG, Mandell L. Adjunctive therapy in community-acquired pneumonia. Semin Respir Crit Care Med. 2012;33(3):311-8.


Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais



Apoio: ..............................................................................................................................................

  



 

Rev. Fac. Ciênc. Méd. Sorocaba, Sorocaba, SP, Brasil, e-ISSN 1984-4840

A Revista da Faculdade de Ciências Médicas de Sorocaba está licenciada com uma Licença Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional.