Perspectivas e desafios da gestão pública no SUS

José Dínio Vaz Mendes, Olímpio J. Nogueira V. Bittar

Resumo


Com 25 anos de duração, o Sistema Único de Saúde - SUS - enfrenta problemas no financiamento e na qualidade dos serviços produzidos. Seus desafios envolvem mudanças nas necessidades de saúde (transições demográfica e epidemiológica) e na tecnologia médica (encarecimento). O desenvolvimento do SUS necessita superar a fragmentação da atenção, estabelecer redes de atenção à saúde, buscar melhorias na gestão, produção e qualidade das ações de saúde e soluções para a formação e alocação de recursos humanos.


Palavras-chave


Sistema Único de Saúde; gestão em saúde; administração em saúde

Texto completo:

PDF

Referências


Brasil. Ministério da Saúde/RIPSA. Taxa de fecundidade total em indicadores demográficos. In: Indicadores e Dados Básicos do Brasil - IDB 2012. Brasília: DATASUS; 2012.

Mendes JDV. Perfil da mortalidade de idosos no Estado de São Paulo em 2010. Saúde em Dados – Contextualização. BEPA. 2012;9(99):33-49.

Mendes JDV, Bittar OJNV. Saúde pública no Estado de São Paulo: informações com implicações no planejamento de programas e serviços. Rev Adm Saúde. 2010; Ed. Esp. (Supl):5-71.

Mendes JDV, Cecilio MAM. Tendências regionais da mortalidade por câncer no Estado de São Paulo, 2000 a 2010. BEPA. 2012;9(104):24-45.

Medici AC. Aspectos teóricos e conceituais do financiamento das políticas de saúde. In: Piola SF, Vianna SM, organizadores. Economia da Saúde: conceito e contribuição para a gestão da saúde. 3ª ed. Brasília: IPEA; 2002. p 23-68.

Organización Mundial de la Salud. Estadísticas sanitarias mundiales 2013. Ginebra: OMS; 2013. p. 45, 131-42.

Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria Executiva. Departamento de Economia da Saúde, Investimentos e Desenvolvimento. Despesas com ações e serviços públicos de saúde financiadas por recursos próprios de 2000 a 2010. Brasília: SIOPS; 2012.

Bittar OJNV, Mieldazis EJ. Considerações sobre recursos de saúde, economia e demografia brasileiras. Rev Adm Pública. 1992;26(3):107-18.

Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria-Executiva. Subsecretaria de Planejamento e Orçamento. Sistema de Planejamento do SUS: uma construção coletiva: organização e funcionamento. 3ª ed. Brasília: Ministério da Saúde; 2009. (Série B. Textos Básicos de Saúde) (Série Cadernos de Planejamento; v. 1).

Mendes EV. As redes de atenção à saúde. Brasília: OPAS; 2011.

Barceló A, Luciani S, Agurto I, Orduñez P, Tasca R, Sued O. Melhora dos cuidados crônicos por meio das redes de atenção a saúde. Brasília: OPAS; 2011.

Barata LRB, Mendes JDV, Andrade, MC. O gestor estadual e os desafios da atenção básica em saúde. In: Conselho Nacional de Secretários de Saúde. Realidades e perspectivas da gestão estadual do SUS. Brasília: CONASS; 2010. p. 71-9.

Bittar OJNV, Mendes JDV, Magalhães A. Rede hospitalar no Estado de São Paulo: mapear para regular. São Paulo: SES/SP; 2011.

Gragnolati M, Lindelow M, Couttolenc B. Twenty years of health system reform in Brazil: an assessment of the Sistema Único de Saúde. Washington: The World Bank; 2013.

Barata LRB, Mendes JDV, Bittar OJNV. Hospitais de ensino e o Sistema Único de Saúde. Rev Adm Saúde. 2010;12(46):7-14.


Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais



Apoio: ..............................................................................................................................................

    

Fundação São Paulo - Hospital universitário

 



 

Rev. Fac. Ciênc. Méd. Sorocaba, Sorocaba, SP, Brasil, e-ISSN 1984-4840

A Revista da Faculdade de Ciências Médicas de Sorocaba está licenciada com uma Licença Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional.