Opiniões de estudantes de um curso de graduação em Enfermagem sobre a doença mental

Alini de Oliveira Souza Mendes, Carolina Munhoz Pereira, Fátima Ayres de Araújo Scattolin

Resumo


Introdução: Mesmo com as mudanças trazidas pela Reforma Psiquiátrica, ainda persistem conceitos e visões estereotipadas e negativas em relação ao doente mental, o que dificulta uma assistência integral e qualificada. Objetivo: Avaliar a opinião de estudantes ingressantes e formandos de um curso de graduação em Enfermagem de uma instituição de ensino superior do interior do estado de São Paulo diante da doença mental. Método: Trata-se de um estudo exploratório de natureza quantitativa. Para coleta de dados foram utilizados: Instrumento de caracterização dos sujeitos e a Escala de Opiniões sobre a Doença Mental (ODM). Foram realizadas análises estatísticas descritiva, de comparação e correlação. O nível de significância utilizado foi de p<0.05. Resultados: Participaram deste estudo 38 estudantes: 21 ingressantes e 17 formandos. Houve predomínio de mulheres (97,37%) e a média de idade foi 24,42 (±6,64) anos. Em relação aos fatores da ODM, as médias dos escores não mostraram grande variação. Alunos ingressantes apresentaram escores mais altos em todos os fatores, porém essa diferença foi significante (p=0,04) apenas no fator visão minoritária. Católicos apresentaram escores maiores no fator Ideologia da higiene mental (p=0,02). Alunos trabalhadores apresentaram menores escores nos fatores Benevolência e Ideologia da higiene mental e essas diferenças foram significantes (p=0,01 e p=0,02 respectivamente). Conclusão: Os resultados deste estudo mostraram mais semelhanças do que diferenças em relação à percepção da doença mental nos dois grupos. Demonstraram também tendência para atitudes positivas, contrariando a ideia de reclusão e fortalecendo o entendimento de que o doente mental deve estar inserido na sociedade.


Palavras-chave


transtornos mentais; pessoas mentalmente doentes; estudantes de enfermagem; atitude

Texto completo:

PDF

Referências


Escorel S. História das políticas de saúde no Brasil de 1964 a 1990: do golpe militar à reforma sanitária. In: Giovanella L, Escorel S, Lobato LVC, Noronha JC, Carvalho AI, editores. Políticas e sistemas de saúde no Brasil. Rio de Janeiro: Editora Fiocruz; 2008. p. 385‐434.

Fundação Oswaldo Cruz. Reforma sanitária [Internet]. Rio de Janeiro: Fiocruz; 2015 [acesso em 3 mar. 2017]. Disponível em: http://bvsarouca.icict.fiocruz.br/sanitarista05.html

Heidrich AV. Reforma psiquiátrica à brasileira: análise sob a perspectiva da desinstitucionalização [tese]. Porto Alegre: Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, Programa de Pós-Graduação em Serviço Social; 2007.

Barroso SM, Silva MA. Reforma psiquiátrica brasileira: o caminho da desinstitucionalização pelo olhar da historiografia. Rev SPAGESP. 2011;12(1):66-78.

Gonçalves AM, Sena RR. A reforma psiquiátrica no Brasil: contextualização e reflexos sobre o cuidado com o doente mental na família. Rev Latino-am Enfermagem. 2001;9(2):48-55. http://doi.org/10.1590/S0104-11692001000200007

Waidman MAP, Marcon SS, Pandini A, Bessa JB, Paiano M. Assistência de enfermagem às pessoas com transtornos mentais e às famílias na Atenção Básica. Acta Paul Enferm. 2012;25(3):346-51. http://doi.org/10.1590/S0103-21002012000300005

Estevam MC, Marcon SS, Antonio MM, Munari DB, Waidman MAP. Living with mental disorders: family members’ perspective have on primary care. Rev Esc Enferm USP. 2011;45(3):674-86. http://doi.org/10.1590/S0080-62342011000300019

Ribeiro LM, Medeiros SM, Albuquerque JS, Fernandes SMBA. Mental health nursing and the family health strategy: how the nurse is working? Rev Esc Enferm USP. 2010;44(2):376-82. http://doi.org/10.1590/S0080-62342010000200019

Lucchese R. A enfermagem psiquiátrica e saúde mental: a necessária constituição de competências na formação e na prática do enfermeiro. Rev Eletr Enferm [Internet] 2009 [acesso em 4 nov. 2017];9(3):883-5. Disponível em: https://www.revistas.ufg.br/fen/article/view/7527

Cohen J, Struening EL. Opinions about mental illness in the personnel of two large mental hospitals. J Abnorm Soc Psychol. 1962;64:349-60.

Rodrigues CRC. Atitudes frente à doença mental: estudo transversal de uma amostra de profissionais da saúde [tese]. Ribeirão Preto: Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto da Universidade de São Paulo; 1983.

Struening EL, Cohen J. Factorial invariance and other psychometric characteristics of five opinions about mental illness factors. Educ Psychol Measure. 1963;23(2):289-98. https://doi.org/10.1177%2F001316446302300206

Ajzen I, Fishbein M. Understanding attitudes and predicting social behavior. New Jersey: Prentice Hall; 1980.

Lopes MJM, Leal SMC. A feminização persistente na qualificação profissional da enfermagem brasileira. Cad Pagu. 2005;(24):105-25. http://doi.org/10.1590/S0104-83332005000100006

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Síntese de indicadores sociais: trabalho e educação [Internet]. Rio de Janeiro: Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística [acesso em 5 nov. 2017]. Disponível em: http://www.ibge.gov.br

Medina NVJ, Takahashi RT. A busca da graduação em enfermagem como opção dos técnicos e auxiliares de enfermagem. Rev Esc Enferm USP. 2003;37(4):101-8. http://doi.org/10.1590/S0080-62342003000400012

Campos CMS, Barros S. Reflexões sobre o processo de cuidar da enfermagem em saúde mental. Rev Esc Enferm USP. 2000;34(3):271-6. http://doi.org/10.1590/S0080-62342000000300008

Oliveira AGB, Alessi NP. O trabalho de enfermagem em saúde mental: contradições e potencialidades atuais. Rev Latino-am Enfermagem. 2003;11(3):333-40. http://doi.org/10.1590/S0104-11692003000300011

Pedrão LJ, Avanci RC, Malaguti SE, Aguilera AMS. Atitudes frente à doença mental: estudo comparativo entre ingressantes e formandos em Enfermagem. Medicina (Ribeirão Preto). 2003;36(1):37-44. https://doi.org/10.11606/issn.2176-7262.v36i1p37-44

Pedrão LJ, Galera SAF, Silva MCP, Gonzalez AC, Costa Júnior ML, Souza MCBM, et al. Perfil das atitudes de formandos em enfermagem frente aos transtornos mentais no Brasil, Chile e Peru. Rev Latino-am Enfermagem. 2005;13(3):339-43. http://doi. org/10.1590/S0104-11692005000300008

Costin F, Kerr WD. The effect of an abnormal psychology course on students’ attitudes toward mental illness. J Educ Psychol. 1962;53(5):214-8. http://doi.org/10.1037/h0040792

Emrich K, Thompson TC, Moore G. Positive attitude: an essential element for effective care of people with mental illnesses. J Psychosoc Nurs Mental Health Serv. 2003;41(5):28-25.

Rodrigues CSL. Católicas e femininas: identidade religiosa e sexualidade de mulheres católicas modernas. Rev Est Relig. 2003;2:36-55.

Gil IMA. Crenças e atitudes dos estudantes de enfermagem acerca das doenças e doentes mentais: impacto do ensino clínico de enfermagem de saúde mental e psiquiatria [tese]. Coimbra: Faculdade de Medicina da Universidade de Coimbra; 2010.

Loureiro LMJ, Dias CAA, Aragão RO. Crenças e atitudes acerca das doenças e dos doentes mentais: contributos para o estudo das representações sociais da loucura. Rev Ref. 2008;2(8):33-44.

Delevati DM, Palazzo LS. Atitudes de empresários do Sul do Brasil em relação aos portadores de doenças mentais. J Bras Psiquiatr. 2008;57(4):240-6. http://doi.org/10.1590/S0047-20852008000400003

Villela JC, Maftum MA, Paes MR. O ensino de saúde mental na graduação de enfermagem: um estudo de caso. Texto Contexto Enferm. 2013;22(2):397-406. http://doi.org/10.1590/S0104-07072013000200016

Pedrão LJ, Avanci RC, Malaguti SE. Perfil dos alunos de enfermagem frente à doença mental antes da influência da instrução académica proveniente de disciplinas de área específica. Rev Latino-Am Enfermagem. 2002;10(6):794-9. http://doi.org/10.1590/S0104-11692002000600007

Santos SS, Soares MH, Hirata AGP. Atitudes, conhecimento e opinião frente à saúde mental em alunos de graduação em enfermagem. Rev Esc Enferm USP. 2013;47(5):1202-10. http://dx.doi.org/10.1590/S0080-623420130000500026

Souza MCBM. O ensino de Enfermagem Psiquiátrica e/ou saúde mental: avanços, limites e desafios [tese livredocência]. Ribeirão Preto: Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto, Universidade de São Paulo; 2010.

Rodrigues J, Santos SMA, Spriccigo JS. Teaching nursing care in mental health in undergraduate nursing. Acta Paul Enferm. 2012;25(6):844-51. http://doi.org/10.1590/S0103-21002012000600004




DOI: https://doi.org/10.23925/1984-4840.2019v21i2a6

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2019 Revista da Faculdade de Ciências Médicas de Sorocaba

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Apoio: ..............................................................................................................................................

  



 

Rev. Fac. Ciênc. Méd. Sorocaba, Sorocaba, SP, Brasil, e-ISSN 1984-4840

A Revista da Faculdade de Ciências Médicas de Sorocaba está licenciada com uma Licença Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional.